O ano é novo, mas o problema não

Views: 102
0 0
Read Time:2 Minute, 1 Second

A Check Point Research (CPR), divisão de Inteligência em Ameaças da Check Point Software, publicou ontem seu balanço dos ataques de 2021 registrados no monitoramento das rede de seus clientes. A principal conclusão para o Brasil é que o volume de ataques subiu 77% na comparação com 2020. As estatísticas sobre o Brasil apontam que a cada semana 1.046 organizações foram atacadas. Esta é a lista dos ataques por setores no Brasil em 2021:

  1. Varejo/Atacado: 2.158 organizações, 238%
  2. Saúde: 1.685, 64%
  3. Governo/Militar: 1.495, 55%
  4. Comunicações: 1.351, 357%
  5. Lazer/Hotelaria: 1.235, 220%
  6. Transporte: 833, 152%
  7. Finanças/Bancos: 696, 65%
  8. Manufatura: 608, 247%
  9. Educação/Pesquisa: 428, 18%
  10. Utilities: 382, 201%

No geral, em 2021, a CPR observou 50% mais ciberataques por semana em redes corporativas em comparação com 2020. A tendência de aumento dos ataques cibernéticos atingiu um ponto mais alto no final de 2021 após as descobertas de explorações do Apache Log4J, chegando a 925 ciberataques semanais por organização, globalmente.

Globalmente, Educação/Pesquisa foi o setor que registrou o maior volume de ataques em 2021, com uma média de 1.605 ataques por organização a cada semana. Isso representou um aumento de 75% em relação a 2020. Em segundo lugar está o setor de Governo/Militar que teve 1.136 ataques por semana (aumento de 47%) e a indústria das comunicações, a qual teve 1.079 ataques semanais por organização (aumento de 51%).Assim, os setores mais visados em todo o mundo por cibercriminosos em 2021 foram:

  1. Educação / Pesquisa (1.605, + 75%)
  2. Governo / Militar (1.136, + 47%)
  3. Comunicações (1.079, + 51%)
  4. ISP / MSP (1.068, +67%)
  5. Saúde (830, +71%)

Em relação às regiões geográficas, a África registrou o maior volume de ataques em 2021, com uma média de 1.582 ataques semanais por organização. Isso representa um aumento de 13% a partir de 2020. Em seguida estão a região Ásia-Pacífico, cuja média foi de 1.353 ataques semanais por organização (aumento de 25%); a América Latina, com 1.118 ataques semanais (aumento de 38%); a Europa, com 670 ataques semanais (aumento de 68%); e América do Norte, com uma média de 503 ataques semanais por organização (aumento de 61%).

Assim, o crescimento de ataques nas regiões na comparação 2020-2021 foi:

  1. África (+ 13%)
  2. Ásia-Pacífico (+ 25%)
  3. América Latina (+ 38%)
  4. Europa (+ 68%)
  5. América do Norte (+ 61%)

Com informações da assessoria de imprensa

FONTE: CISO ADVISOR

Previous post A importância de uma cultura orientada à cibersegurança para a inovação e sucesso das empresas;
Next post Ransomware continua sendo a maior ameaça virtual em 2022

Deixe um comentário