Eis uma forma estupidamente simples de saber quem vende seus dados na web

Views: 49
0 0
Read Time:1 Minute, 52 Second

odos nós sabemos que o compartilhamento de dados pessoais e até mesmo sensíveis é um grande problema na internet contemporânea. Informações são o novo petróleo — elas podem ser usadas por empresas para levantar análises estatísticas, tomar decisões estratégicas, elaborar campanhas de marketing direcionado e até mesmo alimentar redes neurais de inteligência artificial. As legislações de proteção de dados vieram para respaldar o direito de privacidade dos consumidores, mas nem sempre elas são eficientes.

Em algumas ocasiões, nós realmente fazemos um cadastro em algum site e consentimos com o compartilhamento dos dados com terceiros; em outros cenários, porém, sequer somos avisados que tais informações podem ser vendidas ou compartilhadas com outras empresas. Existe um mercado inteiro de data brokers e, às vezes, nossos dados são comercializados profissionalmente em lotes sem que sequer saibamos. Porém, uma dica simples pode lhe ajudar a pegar essas companhias sacanas no flagra.

Um truque bastante engenhoso que vem sendo compartilhado no TikTok e em outras redes sociais lhe permite saber qual empresa está compartilhando seus dados sem a sua alteração. Digamos que você esteja se inscrevendo nos boletins da empresa fictícia Hacking Corp. Basta que, no campo de nome, você utilize um identificador único para tal companhia — por exemplo, João H. C. da Silva. Caso no futuro uma empresa desconhecida lhe envie um email lhe chamando assim… Bom, saberemos o que aconteceu.

Exemplo de como os identificadores lhe ajudam (Captura de Tela/The Hack)

E assim continuamos. Vai fazer compras em uma loja virtual chamada Armazém dos Celulares (novamente, nome fictício)? Cadastre-se como João A. C. da Silva. E aquele jornal chamado The Gibson? Cadastre-se como João Gibson da Silva. Sempre que algum terceiro lhe abordar usando esses nomes únicos, você saberá que quem compartilhou seus dados sem a devida autorização foi a Hacking Corp, a Armazém dos Celulares ou o The Gibson. É uma dica simples e intuitiva.

Claro, o truque não funciona em todos os lugares — você não vai querer desfigurar seu nome com tais identificadores em redes sociais ou serviços online de alta criticidade como plataformas governamentais. Ainda assim, trata-se de uma arma poderosa para garantir seus direitos na web. E aí, curtiu?

FONTE: THE HACK

Previous post Golpes de suporte técnico se tornando a principal ameaça de phishing para os consumidores
Next post Mudanças de segurança necessárias para proteger as redes corporativas de dispositivos IoT não comerciais

Deixe um comentário