Atualização de dispositivos é tarefa “tediosa” para quase metade dos brasileiros

Views: 117
0 0
Read Time:1 Minute, 38 Second
Segundo levantamento da Kaspersky, 71% dos brasileiros sequer enxergam riscos em postergar as atualizações

Atualizações de software são importantes não apenas para se obter novos recursos ou interfaces, mas também para manter um alto nível de segurança em dispositivos. Apesar disso, quase metade (42%) dos usuários brasileiros consideram a tarefa “rotineira e tediosa”, e, muitas vezes, adiam as atualizações de seus PCs e celulares.

A descoberta é parte de um estudo global realizado pela empresa de cibersegurança Kaspersky e pela consultoria de mercado Savant em abril deste ano. Entre os 23 países analisados, o Brasil foi aquele com usuários menos inclinados à atualização de dispositivos.

A pesquisa revelou ainda que estar ocupado no trabalho (33%), não querer parar de usar seu dispositivo naquele momento (23%) e não querer fechar o programa/aplicativo que está utilizado (20%) estão entre as razões mais citadas para o adiamento por brasileiros.

“Os alertas para atualizar nossos dispositivos podem não vir em horários convenientes, mas é importante executar esta tarefa o mais rápido possível”, afirma Dmitry Bestuzhev, diretor da Equipe de Pesquisa e Análise da Kaspersky na América Latina. 

De acordo com o especialista, vulnerabilidades são frequentemente descobertas e dispositivos não atualizados ficam cada vez mais expostos a invasões. Segundo o estudo, 71% dos brasileiros sequer enxergam riscos em postergar as atualizações.

“Os exploits usam as vulnerabilidades em sistema operacionais e programas para obter acesso ilegal e privilégios para causar prejuízo às pessoas. Se não forem corrigidas, elas podem permitir a instalação de vários tipos de malware com potencial de roubar dinheiro ou espionar a vítima”, completa Bestuzhev.

A pesquisa realizou entrevistas com 15 mil pessoas para explorar tendências de comportamento de usuários com seus dispositivos.

Foram entrevistados 1 mil participantes da Alemanha, Espanha, França, Itália e Reino Unido; e 500 usuários da África do Sul, Argentina, Austrália, Áustria, Brasil, Chile, China, Colômbia, Emirados Árabes, Estados Unidos, Holanda, Índia, México, Peru, Portugal, Romênia, Rússia e Turquia.

FONTE: COMPUTERWORLD

Previous post Aumento de vacinas e testes falsos ameaça programas de passaportes
Next post Filial nos EUA da empresa brasileira JBS diz ter sido alvo de ciberataque

Deixe um comentário