Hackers têm presa fácil com vários alertas ignorados pelos EUA

Views: 56
0 0
Read Time:1 Minute, 57 Second

O ataque contra a Colonial Pipeline na semana passada foi uma afronta em particular. Não só interrompeu a distribuição de combustíveis na costa leste, como também veio na sequência de uma iniciativa do governo do presidente Joe Biden para agir contra o crime cibernético, especialmente ransomware, em que hackers desativam remotamente um sistema de computador e exigem um pagamento. A Colonial foi atingida no 37º dia de um projeto de 60 dias do Departamento de Segurança Interna para enfrentar esses ataques.

A campanha do governo é a mais recente de uma longa série de estratégias cibernéticas oferecidas por presidentes e parlamentares de ambos os partidos para combater hackers. Durante anos, especialistas em segurança apresentaram recomendações concretas a governos, empresas e outras organizações para evitar ataques cibernéticos, mas estas costumam ser ignoradas ou preteridas devido a preocupações mais urgentes.

“Tem de haver uma forma diferente de abordar estas questões, se quisermos deter esta praga”, disse Philip Reiner, diretor do Instituto de Segurança e Tecnologia. O grupo de Reiner apresentou recentemente 48 ações que o governo Biden e o setor privado poderiam adotar contra o ransomware.

O oleoduto da Colonial estava paralisado pelo terceiro dia consecutivo na segunda-feira, enquanto fornecedores de combustíveis se preocupam cada vez mais com a possibilidade de escassez de gasolina e diesel na costa leste dos Estados Unidos. A empresa disse na segunda-feira que o oleoduto poderia retomar “substancialmente” as operações até ao final da semana.

Embora Biden tenha imposto recentemente sanções à Rússia por causa do ataque contra a SolarWinds, a ameaça de retaliação ou processo por parte dos EUA teve pouca influência, pelo menos até agora. Muitos hackers criminosos residem em países que os ignoram ou aprovam tacitamente o seu comportamento. As ações para punir grupos de hackers patrocinados pelo Estado – incluindo sanções e processos – tiveram pouco efeito para reduzir os ataques.

A lista de alvos de ataques cibernéticos recentes reflete a sofisticação e a ousadia dos hackers. No governo, as vítimas incluem o Departamento de Segurança Interna, o gabinete do procurador-geral de Illinois e até mesmo o departamento de polícia da capital Washington. No setor privado, os hackers infiltraram-se em grandes empresas de tecnologia como a Microsoft, a empresa de segurança cibernética FireEye, a Scripps Health e até mesmo a equipe de basquetebol Houston Rockets da NBA.

FONTE: JORNAL DE NEGOCIOS

Previous post Ataque hacker ao sistema da Justiça complica trabalho e atrasa prazos
Next post Média de ataques hacker a empresas brasileiras já é maior do que a global

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *