Instituto Sigilo pede indenização de R$ 5 mil ao Facebook para cada titular de dados usados incorretamente

Views: 104
0 0
Read Time:1 Minute, 25 Second

Entidade solicita ainda indenização de R$ 500 milhões a serem revertidos para o Fundo de Defesa de Direitos Difusos

O Instituto Brasileiro de Defesa da Proteção de Dados Pessoais, Compliance e Segurança da Informação SIGILO entrou com uma Ação Civil Pública de Indenização por Dano Moral contra o Facebook no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Além de outras medidas, a entidade aponta o compartilhamento ilegal e inconstitucional de dados pessoais e pede que cada titular prejudicado por esta prática receba uma indenização de R$ 5 mil.

Pelo mesmo motivo, a peça jurídica reivindica que a rede social seja condenada ao pagamento de reparação cível, a título de danos morais coletivos, em valor não inferior a R$ 500 milhões a serem revertidos ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos estabelecido pelo art. 13 da Lei n. 7.347/1985.

A ação, de autoria dos advogados Gustavo Rabay e Mariana Cunha Lima, tem como base o argumento de que o Facebook compartilha indevidamente inúmeros dados dos titulares dentro do seu grupo econômico para oferecimento de serviços e produtos. O documento enfoca principalmente a nova política de privacidade que está sendo adotada pelo WhatsApp.

“A nova política de privacidade do WhatsApp oficializa o compartilhamento de dados do app de mensagens com o Facebook que, na prática, já acontece desde 2016”, afirma a entidade citando matérias publicadas na imprensa sobre o assunto.

De acordo com o fundador e presidente do SIGILO, Victor Hugo Pereira Gonçalves, em face do seu histórico de inúmeros problemas de vazamentos de dados, más condutas políticas e ilegalidades, o Facebook não é uma empresa confiável em suas práticas e demonstra total desapreço pelos dados dos titulares.

FONTE: IP NEWS

Previous post Vazamentos de dados geram prejuízo médio de R$ 5,8 milhões no Brasil
Next post Endpoints: a principal porta de entrada de um cibercriminoso na organização

Deixe um comentário