Hackers cobram US$ 50 milhões da Apple após ‘sequestro’ de projetos

Views: 103
0 0
Read Time:1 Minute, 35 Second

Um ataque virtual executado por cribercriminosos russos pode custar US$ 50 milhões à Apple. Segundo a ameaça, a gigante terá até o dia 1º de maio para realizar o pagamento e evitar que um verdadeiro tesouro de documentos relacionados à engenharia e à fabricação de dispositivos atuais e futuros caia na rede.

Tais materiais, de acordo com o The Record, teriam sido roubados da Quanta, empresa com sede em Taiwan que fabrica MacBooks e outros produtos da empresa da Maçã, pelo grupo REvil, também conhecido como Sodinokibi, que, em 20 de abril, divulgou imagens após a subsidiária não ceder à extorsão.

Ainda não se sabe a extensão do vazamento, mas alguns dos conteúdos já publicados dizem respeito ao recém-revelado iMac – e ninguém de fora da Apple havia visto coisa alguma a respeito do aparelho até o anúncio oficial, também no dia 20, atestando a idoneidade dos esquemas.

Neles, nota-se até mesmo o aviso de que não devem ser reproduzidos ou copiados.

“A equipe de segurança da informação da Quanta Computer trabalhou com especialistas de TI externos em resposta a ataques cibernéticos em um pequeno número de servidores”, destaca a companhia afetada em comunicado ao site Bloomberg, complementando que “não há impacto material nas operações de negócios da empresa” como resultado da invasão.

E agora, José?

Acer e outras já enfrentaram situação parecida com o REvil, mas este é considerado o alvo mais ambicioso do grupo até então.

Aliás, dentre os arquivos revelados estão diagramas de fabricação para a atualização 2020 do processador M1 do MacBook Air, já lançada da Apple, e de um notebook desconhecido que apresenta portas adicionais.

Por fim, os criminosos prometem divulgações diárias até que a big tech, que ainda não se pronunciou quanto ao caso, dedique a eles a soma exigida, e isso pode comprometer – e muito – as estratégias em andamento.

FONTE: TECMUNDO

Previous post 1.6 bilhão de ataques de roubo de credenciais de brasileiros tem origem no próprio país
Next post Brasileiros têm os piores hábitos digitais, indica levantamento da NordVPN

Deixe um comentário