UE. Conselho aprova novo centro de competências em cibersegurança

Views: 45
0 0
Read Time:1 Minute, 43 Second

O Conselho da União Europeia (UE), atualmente presidido por Portugal, aprovou hoje a criação de um Centro de Competências em Cibersegurança, com sede em Bucareste, para promover a investigação e reforçar a segurança da internet no espaço comunitário.

UE. Conselho aprova novo centro de competências em cibersegurança

“AUE pretende reforçar a segurança da Internet e de outras redes e sistemas de informação cruciais através da criação de um Centro de Competências em Cibersegurança para pôr em comum investimentos em investigação e desenvolvimento tecnológico e industrial na área da cibersegurança”, justifica em comunicado a estrutura na qual estão representados os Estados-membros.

Para tal, este novo organismo que estará sediado em Bucareste, na Roménia, “canalizará financiamento relacionado com a cibersegurança do Horizonte Europa e do Programa Europa Digital”, acrescenta.

O Conselho da UE adotou hoje o regulamento que cria o centro e a rede, seguindo-se agora uma aprovação final por parte do Parlamento Europeu.

Denominado “Centro Europeu de Competências Industriais, Tecnológicas e de Investigação em Cibersegurança”, este organismo irá trabalhar em colaboração com uma rede de centros nacionais de coordenação designados pelos Estados-membros.

Além disso, o centro agregará as principais partes interessadas europeias, nomeadamente a indústria, as organizações académicas e outras associações da sociedade civil pertinentes, para formar uma comunidade de competências em cibersegurança, a fim de reforçar e divulgar conhecimentos especializados em cibersegurança em toda a UE.

Citada pela nota, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, aponta que o novo centro e a nova rede “desempenharão um papel fundamental para ajudar a garantir a segurança da infraestrutura digital utilizada diariamente […] para fins de trabalho e lazer, bem como das redes e sistemas de informação em domínios vitais como a saúde, os transportes, a energia, os mercados financeiros e os sistemas bancários”.

Além disso, “impulsionarão a competitividade a nível mundial da indústria da cibersegurança da UE, em particular das PME [pequenas e médias empresas], reforçando a liderança e autonomia estratégica no domínio da cibersegurança”, adianta a governante.

O centro de competências cooperará, ainda, com a Agência da União Europeia para a Cibersegurança (ENISA).

FONTE: NOTICIAS AO MINUTO

Previous post Cibersegurança terá ainda mais desafios em 2021
Next post Inteligência artificial é caminho para defesa contra ciberataques

Deixe uma resposta