Mercado clandestino de vacinas da Darknet está fora do ar após ciberataque

Views: 80
0 0
Read Time:1 Minute, 24 Second

A indisponibilização da plataforma aconteceu na sequência de um ataque e logo após a divulgação sobre a falsificação de resultados de testes negativos e de certificados de vacinação; não se sabe ainda se voltará à atividade


A Check Point descobriu que o mercado (marketplace) clandestino de vacinas que, desde novembro de 2020 tem sido monitorado pelos pesquisadores, está agora indisponível devido a um ciberataque.

Em 23 de março, apenas um dia após o último relatório divulgado pela Check Point Research sobre os resultados dos testes de COVID-19 e os certificados de vacinação, ambos falsos, oferecidos na Darknet e fóruns de hacking, os pesquisadores da Check Point identificaram que esse mercado está desativado.

De acordo com uma publicação no fórum desse mercado de 25 de março de 2021, um atacante descobriu uma forma de criar pedidos falsos que eram imediatamente cancelados por meio de uma conta de vendedor, resultando na obtenção de reembolsos. Ao adotar este método, o atacante conseguiu ganhar 13 Bitcoins (BTC), o equivalente a US﹩ 752 mil. O mercado encontra-se indisponível desde este acontecimento, não sendo ainda certo quando será ou se estará previsto o seu retorno.

Indisponibilização do marketplace não interrompe venda de “bens” relacionados com a COVID-19

Desde que o mercado clandestino está fora do ar, um fórum de hacking foi montado no mesmo endereço web. Nesse fórum há anúncios de uma variedade de ofertas relacionadas com as vacinas para COVID-19 e certificados de vacinação falsos, todos com descontos promocionais.

A Check Point Research continuará monitorando este mercado clandestino para averiguar se estará indisponível permanentemente, como consequência do ataque sofrido, ou se eventualmente retomará suas atividades.

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Ransomware: ataques de hackers estão cada vez mais perigosos
Next post Israelense residente no Brasil ajudou a lavar dinheiro via dark web

Deixe um comentário