Registrato: Serviço do Banco Central ajuda descobrir se seus dados vazados foram usados

Views: 98
0 0
Read Time:1 Minute, 46 Second

Após dois vazamentos de dados em massa no Brasil, que envolveram até mesmo autoridades da república, como o presidente Jair Bolsonaro, e a venda dessas informações na deep web, a preocupação do brasileiro sobre a segurança da sua privacidade na internet cresceu, o que proporcionou o surgimento de sites para este tipo de consulta, como o Fui Vazado

Mas você sabia que o Banco Central do Brasil (BC) já oferece um serviço que possibilita ao cidadão consultar todas as contas bancárias, financiamentos e dívidas abertas em seu nome? Trata-se do Registrato, que fornece relatórios sobre a vida financeira de todos os correntistas dos bancos que atuam no Brasil. 

Saiba como acessar o Registrato

Acessar o Registrato é simples, caso você seja correntista da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, Santander, Itaú, Bradesco, Sicredi ou Sicoob, a solicitação do acesso pode ser feita diretamente pelo pelo aplicativo do banco ou pelo internet banking. Outra opção de acesso é por um certificado digital. 

Cada banco tem um caminho diferente para acessar o serviço e conseguir o PIN para finalizar o cadastro através do aplicativo, caso o cadastramento seja por meio do internet banking, você precisará preencher seus dados na página do Banco Central, que irá gerar um código alfa numérico chamado de frase de segurança, que precisa ser validada no site do banco. 

Depois disso, você deverá definir o e-mail e a senha para cessar o Registrato. Dentro do site, é possível gerar quatro tipos de relatórios: Suas chaves Pix, suas dívidas, suas operações na bolsa de valores e os bancos em que você é correntista. 

Os bancos digitais, como Nubank, Next e Neon, não possuem a opção de solicitação de acesso em seus aplicativos. Caso você só tenha conta em um desses bancos, será necessário fazer uma solicitação de acesso por meio de um protocolo digital, o portal por onde estão sendo encaminhados os documentos para o BC durante a pandemia da Covid-19. 

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post Reconhecimento facial não identificou impostores nos aeroportos dos EUA em 2020
Next post Além do cadeado: aprenda passo a passo como identificar sites falsos e não cair em golpes

Deixe um comentário