920 milhões de pessoas se beneficiarão da conectividade baseada em edge computing, diz estudo

Views: 164
0 0
Read Time:1 Minute, 55 Second

Investimento das telcos na plataforma sobe 200% e serviços nos próximos cinco anos; Serviços, como streaming de música, TV digital e jogos em nuvem, serão os maiores beneficiados da latência ultrabaixa

Pesquisa feita pela Juniper Research aponta que 920 milhões de pessoas se beneficiarão da conectividade avançada baseada em edge computing nos próximos cinco anos. O salto da base de 100 milhões de indivíduos, em 2020, se justifica com a implantação da infraestrutura 5G, que deve aprimorar a oferta de serviços como streaming de música, TV digital e jogos em nuvem, listados entre os maiores beneficiados da latência ultrabaixa fornecida pelas crescentes implementações de nós MEC (Multi-access Edge Computing) pelas operadoras até 2025.

De acordo com o estudo, o investimento em Edge Computing por parte das operadoras de telecomunicações deve saltar de US$ 2,7 bilhões em 2020 para US$ 8,3 bilhões até 2025, impulsionado pela atualização da capacidade das redes e a implantação da infraestrutura para suportar o aumento de dados gerados por redes 5G.

O estudo também revelou que até 2025, o número de nós MEC implantados chegará a 2 milhões globalmente em 2025, contra 230 mil em 2020. Esses dispositivos, que assumem a forma de pontos de acesso, estações base e roteadores, terão um papel vital no gerenciamento de grandes quantidades de dados gerados por veículos conectados, sistemas de cidades inteligentes e outros serviços emergentes com uso intensivo de dados.

A nova pesquisa, Edge Computing: Casos de Uso, Oportunidades de Inovação e Previsões de Mercado 2020-2025, observa que este aumento no investimento é resultado do aprimoramento das funções de rede, com as operadoras movendo de uma infraestrutura centralizada para processamento de dados para uma base de estações na borda das suas redes.

O estudo prevê que os recursos das tecnologias 5G, como alto rendimento, baixas latências e altas densidades de dispositivos, exigirão implementações de nós MEC em áreas urbanas.

Outra constatação é que as cidades inteligentes será uma das verticais que se beneficiará dos lançamentos de nós do MEC, à medida que as operadoras e autoridades de planejamento identificam a melhor forma de instalar nós de extremidade compatíveis com 5G. Entre as aplicações se destacam iluminação vias e calçadas públicas, para mitigar problemas de limitação de espaço inerentes às áreas densamente povoadas.

FONTE: IP NEWS

Previous post Cibercrime usa o termo vacina da Covid-19 para aplicar golpes, diz ESET
Next post SolarWinds é processada por acionistas após supostamente omitir dados sobre ataque hacker

Deixe um comentário