Chineses contaminam 22 milhões de celulares e são condenados à prisão

Views: 125
0 0
Read Time:1 Minute, 6 Second

Lucro dos criminosos chegou a cerca de R$ 21,5 milhões.

Por Rodrigo Fernandes, para o TechTudo

A Justiça da China condenou à prisão os representantes da fabricante de celulares Gionee por terem contaminado propositalmente quase 22 milhões de aparelhos. Os smartphones recebiam um arquivo que exibia propagandas mesmo sem o consentimento dos usuários.

Os primeiros aparelhos teriam sido infectados em dezembro 2018 e a disseminação do malware continuou até outubro de 2019. Durante esse período, a empresa teria lucrado US$ 4,2 milhões com visualizações de anúncios não solicitados e outras atividades maliciosas – cerca de R$ 21,5 milhões.

A ação criminosa teria sido realizada pela empresa Shenzhen Zhipu Tecnology, uma subsidiária da empresa Gionee, com apoio da Beijing Baice Technology. As companhias implantavam o cavalo de troia nos celulares por meio do aplicativo “Story Lock Screen”, que é usado para exibir imagens diferentes na tela de bloqueio dos celulares. O ataque acontecia quando as empresas forçavam a atualização desse app sem o consentimento dos usuários.

Durante a atualização do aplicativo, o plug-in malicioso “Dark Horse Platform” era instalado no smartphone. Depois de instalado, o trojan aperfeiçoava o sistema de exibição de anúncios ilegais no celular. Durante o período em que o malware funcionou, 2,88 bilhões de propagandas foram exibidas para as vítimas.

FONTE: TECHTUDO

Previous post Os hackers não precisam mais da Internet para entregar malware a dispositivos móveis
Next post Brasil figura como um dos países com mais ameaças cibernéticas do mundo em 2020

Deixe um comentário