Garmin pode ter que pagar US$ 10 milhões para interromper ataque de hackers

Views: 55
0 0
Read Time:1 Minute, 45 Second

Garmin, empresa dos Estados Unidos que fabrica relógios esportivos inteligentes e equipamentos de GPS, pode ter que pagar US$ 10 milhões para libertar seus sistemas de 1 ataque cibernético que derruba seus serviços desde 5ª feira (23.jul.2020).

A invasão ransomware criptografa o conteúdo do sistema e rouba os arquivos armazenados. Para recuperar as informações , os hackers pedem resgate em dinheiro. As ações da empresa caíram 1,13% na 5ª feira (23.jul.2020) e 3,45% na 6ª feira (24.jul.2020) no índice de tecnologia Nasdaq dos Estados Unidos.

Pelo Twitter, a empresa informou que o site e o aplicativo móvel Garmin Connect Fitness estão inativos. “Essa interrupção também afeta nossos call centers e, atualmente, não podemos receber chamadas, e-mails ou bate-papos on-line. Estamos trabalhando para resolver o problema o mais rápido possível e pedimos desculpas por esse inconveniente”, disse.

O site “flyGarmin” de aviação também está inoperante. O site de notícias sobre segurança Bleeping Computer disse que Garmin foi atacada pelo ransomware WastedLocker, que é associado a 1 grupo cibercriminoso russo conhecido como Evil Corp.

Empresa sofreu ataque na 5ª feira (25.jul.2020) e ainda está com os serviços interrompidos Reprodução/Garmin.com

Os usuários dos aplicativos reclamam da indisponibilidade dos serviços e de registros de atividades físicais nos smartwatches da Garmin. Os relógios têm GPS e medem a frequência cardíaca, a frequência respiratória e outros serviços.

A Gamin também presta serviços ao mercado profissional e a entidades governamentais, como de sensores de aviação, sistemas de pilotagem automática e controle de tráfego aéreo. A empresa ainda não disse se esses sistemas foram prejudicado pelo ataque cibernético.

Neste sábado (25.jul.2020), a empresa ainda publicou publicidade dos relógios, mas foi criticada pelo usuários.

Os invasores têm longas listas de arquivos da empresa criptografados. Foi enviada uma nota de resgate anexada a cada arquivo à Garmin. Segundo o Bleeping Computer, foi solicitado US$ 10 milhões. A empresa desligou todos os computadores, incluindo os funcionários que estavam em home office.

FONTE: PODER360

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *