Suspeitando de ataque cibernético, MSC relata paralisação da rede – Atualização

Views: 207
0 0
Read Time:2 Minute, 5 Second

A Mediterrânea Shipping Company diz que sofreu uma paralisação da rede e não pode descartar a possibilidade de um ataque cibernético, disse a empresa na sexta-feira.

A paralisação começou em um dos data centers da MSC em Genebra, suíça e a empresa fechou seus servidores em resposta. Em uma atualização na sexta-feira, a empresa disse que o problema diz respeito apenas à sua sede em Genebra.

“À luz da paralisação da rede incorrida em um dos data centers em Genebra, decidimos fechar os servidores em nossa sede como uma primeira medida de segurança – já que a segurança é nossa prioridade máxima”, disse a MSC no Twitter.

“Neste momento, não podemos descartar totalmente a possibilidade de um malware, mas podemos confirmar que nossa rede de agências em todo o mundo está funcionando. E que nossos agentes locais apoiam os clientes para todos os serviços, como de costume.

“Estamos trabalhando para uma recuperação completa no menor tempo possível”, acrescentou.

Um post anterior dizia que os serviços e operações da MSC estavam funcionando normalmente.

Na época da publicação, o site global da MSC e seu myMSC.com, seu portal de clientes e plataforma de reservas, estavam inacessíveis.

Uma atualização na sexta-feira disse que sua investigação concluiu que o problema está relacionado apenas aos seus servidores em sua sede e os clientes ainda podem fazer reservas via telefone ou e-mail, o que não é impactado. Não detalhou a causa do incidente.

“Após várias horas de investigações, agora podemos confirmar que o problema está relacionado apenas à nossa sede em Genebra”, disse a empresa em uma série de Tweets. “Os servidores da sede foram desligados, e implantamos uma equipe de especialistas que estão trabalhando duro para garantir que possamos ver o retorno às condições normais de funcionamento.”

“Todos os nossos departamentos, terminais, depósitos etc. operam sem interrupções”, acrescentou a empresa.

A Mediterrânea, com sede na Suíça, é a segunda maior linha de transporte de contêineres, controlando 571 navios, representando 16% da capacidade mundial do TEU. Também participa da Aliança 2M com a Maersk, a principal linha de contêineres do mundo.

A paralisação não pode deixar de lembrar o ataque de malware NotPetya de 2017 que danificou as redes globais da Maersk e interrompeu suas operações de transporte de contêineres por semanas, custando à Maersk cerca de US$ 300 milhões.

A paralisação também ocorre em um momento em que a pandemia COVID-19 já está pressionando as cadeias globais de suprimentos.

FONTE: GCAPTAIN

Previous post Erros de funcionários são responsáveis por 54% das ameaças a dados confidenciais das empresas
Next post Crescem domínios falsos e casos de phishing devem dobrar

Deixe um comentário