Por que a viagem de dados é o próximo grande desafio de cibersegurança da área de saúde

Views: 149
0 0
Read Time:4 Minute, 29 Second

Você sabe onde ficam os dados de seus pacientes quando estão na nuvem? Infelizmente, para muitas organizações de saúde , a resposta é não – ou, pelo menos, não é um sim definitivo.

Saber como (ou onde) os dados são usados, compartilhados ou armazenados é essencial para garantir a segurança organizacional e a privacidade do paciente. No entanto, como a transformação digital torna os dados mais “líquidos”, está se tornando um desafio maior.

Veja por que a viagem de dados é o próximo grande desafio de segurança cibernética – e o que as organizações de saúde podem fazer para manter seus dados seguros.

Entendendo a viagem de dados

A viagem de dados é a jornada que seus dados fazem depois que saem do controle direto de sua organização. Com o surgimento dos serviços em nuvem, os dados se tornaram cada vez mais móveis e interconectados, muitas vezes passando por vários servidores, data centers e entidades potencialmente terceirizadas antes de chegar ao destino pretendido.

Cada ponto dessa jornada representa uma possível oportunidade de exposição ou manuseio incorreto de dados, o que torna a viagem de dados uma séria preocupação de segurança cibernética, especialmente quando se trata de informações de saúde protegidas (PHI). Os dados podem ser interceptados durante a transmissão, acessados ​​indevidamente em repouso ou descartados incorretamente no final de seu ciclo de vida. Cada servidor ou rede pela qual ele passa, cada dispositivo a partir do qual é acessado e cada pessoa que o acessa representam vulnerabilidades em potencial que podem ser exploradas por agentes mal-intencionados.

Compreender a viagem de dados é um primeiro passo crucial para garantir que as informações confidenciais de saúde permaneçam protegidas durante todo o seu ciclo de vida, desde a criação até a exclusão.

A realidade dos dados na nuvem

A migração da área de saúde para a nuvem revolucionou a forma como o setor aborda o armazenamento de dados, oferecendo escalabilidade, acessibilidade e economia de custos. No entanto, ainda existem equívocos sobre a nuvem. Por exemplo, um mito comum é que os dados armazenados na nuvem ficam em um local fixo.

Na realidade, os dados na nuvem estão longe de serem estacionários. O armazenamento em nuvem geralmente significa distribuir dados em vários servidores e data centers, geralmente em locais diferentes, para garantir confiabilidade e acesso rápido. Obviamente, os provedores de nuvem utilizam medidas de segurança rígidas para proteger esses dados, mas o fato de esses dados estarem dispersos e em constante movimento torna muito mais difícil monitorá-los e protegê-los.

Cada salto que seus dados levam entre os servidores pode expô-los a vulnerabilidades adicionais. Além disso, à medida que os dados ultrapassam os limites geográficos, eles podem cair sob a jurisdição de vários regulamentos. Os dados armazenados na União Europeia, por exemplo, estão sujeitos ao GDPR, enquanto os mesmos dados armazenados nos EUA estão sujeitos a leis diferentes. Para navegar por essas complexidades da viagem de dados, é essencial que as organizações de assistência médica primeiro entendam a verdadeira natureza da movimentação de dados na nuvem. Uma vez estabelecida a base desse entendimento, as organizações podem trabalhar para implementar medidas de segurança abrangentes para manter os dados do paciente seguros em todo o cenário dinâmico da nuvem.

Estratégias para gerenciar viagens de dados

Aqui estão algumas das estratégias mais importantes que as organizações podem utilizar para gerenciar e monitorar com eficácia a viagem de dados:

  • Mapeamento de dados : para obter uma visão abrangente de como os dados se movem dentro e fora de sua organização, o mapeamento de dados é fundamental. Ele não apenas permite mapear o fluxo de dados, mas também identificar todos os pontos em que seus dados tocam, de dispositivos e redes a fornecedores terceirizados.
  • Criptografia : criptografar seus dados, estejam em trânsito ou em repouso, fornece uma camada adicional de segurança, garantindo que, mesmo que os dados caiam em mãos erradas, permaneçam ilegíveis sem a chave de descriptografia correta.
  • Controles de acesso e monitoramento : estabeleça controles de acesso rigorosos para garantir que apenas usuários autorizados possam acessar dados confidenciais de saúde. Monitore continuamente o acesso e o uso de dados para detectar qualquer atividade suspeita e mitigá-la rapidamente.
  • Escolhendo provedores de nuvem seguros : faça parceria com provedores de nuvem que priorizam a segurança e oferecem transparência em suas práticas de manipulação de dados. Se a viagem de dados por várias localizações geográficas for uma preocupação, procure provedores que ofereçam garantias de residência de dados para garantir a conformidade regulatória.
  • Treinamento de segurança frequente e consistente : Realize treinamentos regulares para toda a sua equipe para aprender as práticas recomendadas de gerenciamento de dados mais recentes . Infelizmente, o erro humano costuma ser a causa de violações de dados.

À medida que a assistência médica continua a adotar os serviços em nuvem, o desafio de gerenciar e proteger a viagem de dados torna-se maior — e cada vez mais crítico.

Desde mapeamento e criptografia de dados até controles de acesso rígidos e treinamento regular da equipe, existem várias camadas para uma estratégia eficaz de segurança de dados. Desconsiderar qualquer um desses elementos pode ter sérias consequências para as organizações de saúde, incluindo violações de dados dispendiosas, reputações prejudicadas e, o mais importante, impactos negativos em vidas humanas reais.

FONTE: HELP NET SECURITY

POSTS RELACIONADOS