Operações africanas de cibercrime encerradas em operação de aplicação da lei

Views: 132
0 0
Read Time:1 Minute, 27 Second

Em uma operação conjunta de meses da Interpol e da Afripol, 14 suspeitos de cibercriminosos foram presos e mais de 20.000 redes de computadores suspeitos foram fechadas em 25 países africanos.

A aplicação da lei prendeu três suspeitos em Camarões e um na Nigéria, e as autoridades derrubaram dois sites camaroneses da Dark Web, bem como 615 hosts de malware quenianos. Além disso, 185 endereços de protocolo de Internet (IP) foram encerrados na Gâmbia devido a atividades maliciosas e duas mulas de dinheiro foram presas nas Ilhas Maurício após serem vinculadas a golpes por meio de plataformas de mensagens.

A chamada operação Africa Cyber ​​Surge II , lançada pela primeira vez em abril, foi liderada pela Diretoria de Cibercrime da Interpol sob o departamento de Operações de Cibercrime da Interpol na África , bem como pelo Programa de Apoio da Interpol para a União Africana.

A investigação usou inteligência do setor privado para identificar redes desonestas responsáveis ​​por perdas financeiras de mais de US$ 40 milhões. De acordo com a Interpol, a operação ressalta o poder da cooperação entre a aplicação da lei internacional, autoridades nacionais e parceiros do setor privado “para compartilhar as melhores práticas e combater proativamente o cibercrime”, especialmente em uma região que tem visto um aumento no cibercrime. 

“A operação Africa Cyber ​​Surge II levou ao fortalecimento dos departamentos de crimes cibernéticos nos países membros, bem como à solidificação de parcerias com partes interessadas cruciais, como equipes de resposta a emergências de computadores e provedores de serviços de Internet”, afirmou o secretário-geral da Interpol, Jurgen Stock. “Isso contribuirá ainda mais para reduzir o impacto global do cibercrime e proteger as comunidades da região .”

FONTE: DARKREADING

POSTS RELACIONADOS