Indústria espacial dos EUA sob ameaça de ciberespionagem

Views: 105
0 0
Read Time:2 Minute, 11 Second

Segundo agências de inteligência americanas, serviços de inteligência estrangeiros podem usar ataques cibernéticos diretos e à cadeia de suprimentos para obter acesso à indústria espacial do país

Os serviços de inteligência estrangeiros podem usar ataques cibernéticos diretos e à cadeia de suprimentos para obter acesso à indústria espacial dos EUA, de acordo com agências de inteligência americanas. Em um comunicado conjunto do Centro Nacional de Contra-Inteligência e Segurança, o FBI e a Força Aérea dos EUA alertaram que as órgãos de inteligência estrangeiros veem a inovação e os ativos relacionados ao espaço do país como ameaças potenciais, bem como oportunidades valiosas para adquirir tecnologias e conhecimentos vitais.

Os EUA são o maior investidor na indústria espacial, tendo gastado US$ 133 bilhões desde 2013, o que representa 47% de todos os investimentos. A China está em segundo lugar, com US$ 79 bilhões investidos em ações espaciais no mesmo período.

As principais ameaças que as campanhas de espionagem contra a indústria espacial dos EUA representam incluem roubo de dados de propriedade intelectual, coleta de dados confidenciais relacionados a cargas úteis de satélites, interrupção e degradação das comunicações por satélite dos EUA e exploração de vulnerabilidades na infraestrutura espacial comercial dos EUA durante conflitos.

Embora não sejam explicitamente mencionados no comunicado, China, Rússia e Irã estão entre os principais estados-nação de onde se originam as campanhas de espionagem cibernética direcionadas às empresas espaciais dos EUA.

Por exemplo, em outubro de 2022, cinco cidadãos russos foram acusados em uma acusação de tentar adquirir ilicitamente “semicondutores e microprocessadores usados em satélites, mísseis e outras aplicações militares espaciais” de empresas americanas.

Em janeiro de 2023, o Departamento do Tesouro dos EUA sancionou a Spacety Luxembourg, uma subsidiária da provedora de satélites chinesa Spacety China com sede em Luxemburgo, por fornecer ao Grupo Wagner da Rússia imagens de satélite de radar da Ucrânia para apoiar suas operações de combate.

Com a expectativa de crescimento da economia espacial global de US$ 469 bilhões em 2021 para mais de US$ 1 trilhão em 2030, essas ameaças provavelmente se tornarão mais críticas.

A indústria espacial dos EUA depende fortemente do setor privado, com empresas como SpaceX, Blue Origin e Virgin Galactic respondendo por mais de 80% dos investimentos da indústria no país.

Atualmente, as medidas de segurança no setor variam de empresa para empresa – pelo menos até que o projeto de lei bipartidário para designar o espaço como um setor de infraestrutura crítica, proposto em julho de 2023, se torne lei.Em junho, os EUA anunciaram o lançamento de uma constelação de satélites espiões Silent Barker, que procurará e rastreará satélites “inimigos”.

FONTE: CISO ADVISOR

POSTS RELACIONADOS