Blockchain e seu papel na identidade

Views: 122
0 0
Read Time:3 Minute, 17 Second

Como uma tecnologia emergente, o blockchain é frequentemente discutido, mas até recentemente de forma hipotética. Nos últimos anos, a tecnologia cresceu exponencialmente e muitas organizações não apenas exploram os benefícios, mas também a implementam ativamente em uma variedade de casos de uso.

Seja para serviços financeiros ou de saúde, espera-se que o gasto global com essa tecnologia cresça de US$ 5,3 bilhões em 2021 para US$ 34 bilhões em 2026.

Mas o que exatamente é essa tecnologia? Continue lendo para descobrir.

O que exatamente é a tecnologia blockchain?

Blockchain é um banco de dados descentralizado ou ‘livro-razão’ que fornece um registro de transações para todos os participantes dentro de uma rede de computadores. Blockchains consistem em múltiplos blocos – cada um contendo dados de transações que são então criptografados para produzir um hash. Esse hash é então adicionado ao próximo bloco, estabelecendo uma cadeia. Et voilà – um blockchain.

Os blockchains fornecem um registro transparente de compartilhamento de dados que é permanente, irreversível e à prova de adulterações. Dado que não pode ser alterado e que não há uma única entidade controlando-o, os blockchains representam uma tecnologia incrivelmente segura.

Quais são suas aplicações?

Enquanto as criptomoedas – como o bitcoin – são provavelmente os principais casos de uso dos blockchains, eles são implantados em outros serviços financeiros e são usados na transferência ou compra de ativos digitais, como NFTs.

A tecnologia blockchain também tem um impacto positivo nas identidades digitais, e aqui está o porquê…

É altamente protegida

Identidades digitais – ou carteiras digitais – têm a capacidade de hospedar inúmeros pontos de dados sobre a identidade e informações pessoais de um indivíduo – como sua data de nascimento, endereço e detalhes da conta bancária – junto com credenciais como qualificações, status de emprego, passagens de viagem, carteira de motorista e pontuação de crédito – para citar alguns. Com violações de dados de consumidores de alto perfil regularmente aparecendo nas manchetes, é vital que essas informações sejam altamente protegidas.

Se as identidades digitais operassem na tecnologia blockchain, as tecnologias de criptografia poderiam garantir que essas informações fossem protegidas com os mais altos níveis de segurança, impedindo o acesso a qualquer pessoa além do proprietário. Com as tecnologias blockchain operando em uma rede descentralizada e sem um ‘dono’ ou fonte verdadeira, sua arquitetura também é distribuída por diferentes computadores. Isso significa que agentes mal-intencionados não podem ganhar acesso em nenhum ponto de entrada, tornando o risco de uma rede comprometida inviável.

Permite a portabilidade de dados

Com todos os pontos de dados e credenciais convenientemente consolidados em uma única carteira digital universal, a experiência do usuário poderia ser aprimorada exponencialmente. Os usuários poderiam se despedir da frustração de recuperar, imprimir, digitalizar e armazenar documentos físicos ou ativos digitais para provar sua identidade ou elegibilidade ao se inscrever em serviços, tornando as transações muito mais simplificadas e eficientes.

Essa carteira universal também poderia permitir que os dados fossem transferidos perfeitamente para diferentes provedores de serviços e plataformas, independentemente dos diferentes protocolos e requisitos de autenticação em jogo. Essa única fonte de verdade – ou seja, a carteira digital suportada por blockchain – proporcionaria uma interoperabilidade e portabilidade de dados sem precedentes.

Ajuda a facilitar identidades auto-soberanas

Com as tecnologias blockchain, os usuários poderiam estar no controle do que compartilham ou não compartilham. Historicamente, os consumidores tiveram que compartilhar excessivamente dados pessoais. Por exemplo, ao provar que tinham mais de 18 anos, compartilhando sua carteira de motorista, eles também tornavam desnecessariamente o provedor de serviços ciente de detalhes como seu endereço, nome e data de nascimento completa.

Com identidades digitais baseadas em blockchain, os consumidores poderiam gerenciar melhor sua identidade digital, compartilhando seletivamente apenas os elementos de sua identidade que são necessários para a interação em questão, aumentando assim a privacidade geral.

Esse artigo tem informações retiradas do blog da Thales. A Neotel é parceira da Thales e, para mais informações sobre as soluções e serviços da empresa, entre em contato com a gente.

POSTS RELACIONADOS