Sabe o que é pior que uma economia desacelerada? Um ataque cibernético

Views: 87
0 0
Read Time:2 Minute, 8 Second

Foi o que afirmaram cerca de um quinto das empresas americanas e europeias

Cerca de um quinto das empresas americanas e europeias (20%) admitiu que um ataque cibernético grave quase as deixou insolventes, com a maioria (87%) avaliando o comprometimento como uma ameaça maior do que uma desaceleração econômica, de acordo com a Hiscox. A companhia seguradora anglo-bermudense entrevistou mais de 5.000 empresas nos EUA, Reino Unido, Irlanda, França, Espanha, Alemanha, Holanda e Bélgica para compilar seu relatório anual de prontidão cibernética. 

O relatório da Hiscox mostra os danos financeiros potencialmente catastróficos que um ataque cibernético sério pode causar. O número de empresas que alegam quase ter sido derrubadas por uma violação aumentou 24% na comparação com o ano anterior.

Quase metade (48%) dos executivos entrevistados disse ter sofrido um ataque nos últimos 12 meses, um aumento de 12% em relação às descobertas do relatório anterior. Talvez sem surpresa, as empresas em sete dos oito países veem o ataque cibernético como sua maior ameaça.

No entanto, a percepção parece variar muito dependendo de uma organização ter sofrido um comprometimento sério ou não. Enquanto mais da metade (55%) do total de entrevistados disse ver o ciberespaço como uma área de alto risco, o número entre as empresas que ainda não sofreram um ataque é de apenas 36%.

Embora os gastos com segurança cibernética estejam aumentando, em média, 60% por empresa ano a ano, o mesmo acontece com o custo dos ataques. A Hiscox calculou o custo médio em cerca de US$ 17 mil – um aumento de 29% ano sobre ano.

Mais preocupante, dada a nova era do trabalho híbrido, é que quase dois terços dos entrevistados (62%) concordaram que seus negócios estavam mais vulneráveis ​​a um ataque como resultado do trabalhando em casa. Isso aumentou para 69% em empresas com mais de 250 funcionários.

“Os empresários terão passado anos crescendo e investindo em seus negócios, mas um ataque cibernético pode reduzir o que eles construíram a escombros financeiros”, alertou o CEO da Hiscox Cyber, Gareth Wharton, em entrevista à Infosecurity. “O trabalho remoto não está desaparecendo e impactou o volume de ataques cibernéticos à medida que os cibercriminosos obtêm acesso por meio de servidores em nuvem, por isso é vital que as empresas tomem as medidas necessárias para se proteger contra a complexidade e a velocidade dos ataques cibernéticos.”

Wharton acrescentou que, como os e-mails de phishing continuam sendo um dos principais vetores de ameaças, as organizações devem concentrar esforços na melhoria do treinamento de conscientização de sua equipe.

FONTE: CISO ADVISOR

Previous post Cloud: Para onde levar os sistemas de missão crítica da sua empresa?
Next post Thales lança CipherTrust Tokenization para proteger dados em inúmeros aplicativos SAP

Deixe um comentário