EUA e UE firmam novo pacto que envolve cibersegurança e IA

Views: 53
0 0
Read Time:2 Minute, 2 Second

Países terã0 novo marco de cooperação em questões relacionadas à integridade da informação em crises, particularmente no que diz respeito à tentativa do Kremlin de “manipular e censurar” informações

Representantes da União Europeia (UE) e do governo dos EUA anunciaram uma série de iniciativas conjuntas em áreas como pequenas e médias empresas (PMEs), segurança da cadeia de suprimentos, combate à desinformação, evasão de sanções e desenvolvimento de inteligência artificial (IA) confiável e tecnologias de aprimoramento da privacidade.

As iniciativas foram anunciadas após uma segunda reunião ministerial do Conselho de Comércio e Tecnologia EUA-UE (TTC), realizada em Paris, no dias 15 a 16 deste mês. Muitos dos anúncios têm caráter de urgência em razão da guerra da Rússia contra a Ucrânia. Na nota emitida pelos países consta um novo marco de cooperação em questões relacionadas à integridade da informação em crises, particularmente no que diz respeito à tentativa do Kremlin de “manipular e censurar” informações.

Também haverá uma troca de informações mais próxima entre as duas partes sobre exportações de tecnologia crítica, com foco inicial na Rússia e outros países que fogem das sanções.

Em um tom mais positivo, o TTC concordou em produzir um guia de melhores práticas de segurança cibernética para pequenas e médias empresas, que disse terem sido “desproporcionalmente” impactadas por ameaças cibernéticas. Também houve compromissos para “promover cadeias de suprimentos de infraestrutura digital, telecomunicações e organizações sem fins lucrativos (ICTs), públicas ou privadas, seguras, resilientes, diversificadas, competitivas, transparentes e sustentáveis”.

Em relação às tecnologias emergentes, a UE e os EUA concordaram em desenvolver um roteiro conjunto para avaliar ferramentas para “IA confiável e gerenciamento de risco”, juntamente com um projeto sobre tecnologias de aprimoramento da privacidade.

Talvez de olho na crescente presença da China na comunidade de padrões internacionais, o TTC também anunciou a criação de um “mecanismo de Informação de Padronização Estratégica (SSI) EUA-UE” para facilitar o compartilhamento de informações sobre o desenvolvimento de padrões internacionais.

“A interrupção da cadeia de suprimentos de fornecedores russos e ucranianos certamente afeta os fabricantes europeus em comparação com seus colegas dos EUA”, acrescentou John Dickson, vice-presidente da empresa de consultoria Coalfire, à Infosecurity. “Essa realidade também impulsionará uma cooperação mais profunda com a União Europeia em várias frentes, incluindo a segurança cibernética. Se houver alguma tentativa russa de expandir o conflito fora da Ucrânia no domínio da segurança cibernética, uma cooperação mais estreita nessa frente será um imperativo”.

FONTE: CISO ADVISOR

Previous post Colonial Pipeline: o que aprendemos um ano após o ataque cibernético?
Next post 380 mil servidores de API Kubernetes expostos; 3 mil aqui

Deixe um comentário