Exposição de dados pessoais cresce 26% na lista Fortune 1000

Views: 75
0 0
Read Time:1 Minute, 22 Second

Pesquisa da empresa SpyCloud analisou dados expostos de funcionários das áreas tecnologia, finanças, varejo e telecomunicações

O relatório anual da empresa de segurança SpyCloud mostra que em 2021 o volume exposto de credenciais públicas e identidades de funcionários de empresas da lista Fortune 1000 (nos setores de tecnologia, finanças, varejo e telecomunicações) cresceu 26%.

Com base em um banco de dados de mais de 200 bilhões de dados roubados, os pesquisadores descobriram mais de 687 milhões de credenciais públicas e identidades de funcionários de empresas da Fortune 1000, um aumento de 26% em relação à análise do ano passado. Para esta análise, foram examinados mais de 126 milhões de registros de violação de funcionários contendo mais de 687 milhões de ativos, todos disponíveis para cibercriminosos e que podem ser usados ​​para fins maliciosos.

O mecanismo da SpyCloud coleta, seleciona, enriquece e analisa dados recapturados de violações, dispositivos infectados por malware e outras fontes do submundo do crime – transformando-os em insights acionáveis que permitem às empresas identificar rapidamente usuários legítimos versus criminosos em potencial usando informações roubadas e tomar ação para evitar o controle de contas, ransomware e fraudes online.

As principais descobertas:

  1. A reutilização de senhas é desenfreada entre os funcionários da Fortune 1000
  2. A exposição a violações de dados continua a crescer na casa dos dois dígitos
  3. O setor de tecnologia lidera o caminho para a maior e mais severa exposição
  4. A exposição de dados pessoais está crescendo e afetando especialmente setores como finanças, varejo e telecomunicações
  5. Setores de infraestrutura crítica lideram pela pior higiene de senhas

O relatório pode ser obtido em “hxxps://spycloud.com/resource/2022-fortune-1000-identity-exposure-report/”

FONTE: CISO ADVISOR

Previous post 21% dos PCs corporativos no Brasil estiveram sob risco em 2021
Next post ANPD conclui análise de adequação da Política de Privacidade do WhatsApp

Deixe um comentário