Worm: entenda o que é e como seu computador pode ser infectado por um

Views: 158
0 0
Read Time:4 Minute, 10 Second

Diego Borges

Desde que os PCs começaram a se popularizar, infelizmente, com eles, cresceram também os vírus. Eles são programas cujo objetivo é realizar ações ilegais em um sistema, como acessar e roubar dados sigilosos, ou simplesmente danificar o Windows do usuário.

Entre os tipos de vírus, os malwares foram os que mais se popularizaram ao longo dos anos. E entre eles, temos o “worm” cuja função é se espalhar em uma rede, privada ou empresarial, com o intuito de contaminar cada vez mais computadores, sendo uma das maiores ameaças atualmente.

Hoje explicaremos um pouco mais sobre esse malware, como ele pode infectar seu PC e as formas de evitar esse problema. Confira:

O Malware é um dos vírus mais populares atualmente

O Malware é um dos vírus mais populares atualmente.Fonte:  Shutterstock 

O que é um Worm?

Em uma tradução direta, Worm significa “minhoca” em português. E, assim como o animal invertebrado que vive sob a terra, o malware tem o costume de agir por dentro do sistema e contaminar os computadores, causando grandes problemas de desempenho. Isso porque o vírus consome uma série de recursos do SO o que acarreta lentidão e até mesmo um consumo maior do fluxo de dados pela rede.

O primeiro worm apareceu ainda nos anos 90, mais precisamente em 1998. Na época ele conseguiu o feito de infectar em torno de 6 mil PCs de 60 mil que se uniam na ARPANET, rede que posteriormente deu origem à internet que usamos hoje em dia.

O worm costuma se propagar dentro de uma rede

O worm costuma se propagar dentro de uma rede.Fonte:  Shutterstock 

Como um worm pode contaminar uma máquina?

E, assim como a tecnologia, esses malwares também evoluíram e agregaram outras funções maliciosas. Entre elas, a possibilidade de infectar computadores através de dispositivos externos, como pen drives e HDs. Além de contaminarem o sistema com o que chamamos de “Cavalo de Troia”, ou seja, uma infecção dentro de um aplicativo aparentemente inofensivo, que rouba dados e informações pessoais contidas no PC contaminado.

Outra forma popular de contaminação utilizada pelos worms é por e-mail. Geralmente, eles são enviados por remetentes desconhecidos com um link para um site que vai infectar a máquina, ou com um anexo contendo o vírus. Também há alguns casos em que o malware toma posse da caixa de entrada de um usuário, enviando ele mesmo a propagação do vírus para os contatos cadastrados. Com isso, o destinatário recebe um e-mail de uma pessoa conhecida e acaba abrindo o anexo, ou acessando o link malicioso.

Um malware pode se propagar por e-mailsUm malware pode se propagar por e-mails.Fonte:  Shutterstock 

Nem mesmo os mensageiros instantâneos, como Messenger, WhatsApp e Skype, estão livres da ameaça. Em muitos casos eles enviam mensagens com frases chamativas para que você clique no link malicioso. Caso a vítima caia no golpe, há grandes riscos de contaminar o PC ou celular em que foi realizada a conexão.

E por fim, nem mesmo a moda das moedas virtuais está livre de problemas. O Lemon Duck, por exemplo, é um malware que atinge o processo de mineração de criptomoedas. Ele assume o controle do Microsoft Outlook do usuário e envia e-mails com conteúdo malicioso para contaminar outros PCs. Já o Bondat, outro malware de mineração de criptomoedas, se espalha por meio de dispositivos conectados pela porta USB da vítima.

Nem a mineração de criptomoedas está livre de infecçõesNem a mineração de criptomoedas está livre de infecções.Fonte:  Shutterstock 

Como evitar a contaminação por um worm?

Para se proteger dos ataques de malwares, primeiramente é preciso ter uma rotina que envolve uma navegação segura na internet. Além de um bom antivírus sempre atualizado, é preciso ter o hábito de sempre desconfiar de ações suspeitas no seu dia a dia com o PC:

  • Fique sempre atento a e-mails de destinatários desconhecidos e nunca abra anexos ou acesse links enviados por eles.
  • Desconfie de e-mails de lojas e serviços que têm um endereço diferente do utilizado por eles. Por exemplo, Mercado Livre, Americanas, Submarino, não enviam e-mails com @gmail.com, @hotmail.com, ou algum servidor popular. Geralmente o domínio do e-mail acompanha o do site principal.
  • Evite abrir anexos com a extensão .zip, .rar, ou até mesmo .exe. Mesmo que sejam enviados por contatos conhecidos, eles podem ter sofrido uma contaminação e estão propagando o malware sem saber.
  • Em relação a sites, desconfie sempre dos que prometem um conteúdo tentador, como filmes e softwares de graça, ou a promessa de dinheiro fácil.
  • E por fim, jamais entre em um site desconhecido e que o seu próprio navegador, ou até mesmo o alerta do antivírus, identifique-o como “não seguro”.

Crie hábitos de navegação segura na internet para evitar a contaminação de qualquer vírusCrie hábitos de navegação segura na internet para evitar a contaminação de qualquer vírus.Fonte:  Shutterstock 

Agora que você já sabe como funciona um worm e, principalmente, os riscos que ele oferece para o seu PC, crie hábitos para usar a internet de uma forma mais segura e não ter problemas no dia a dia.

FONTE: TECMUNDO

Previous post Estudo revela como funciona uma das redes de malware mais antigas do mundo
Next post As senhas mais usadas de 2021 também são as mais inseguras

Deixe um comentário