Recursos de segurança são fatores críticos no sucesso da 5G

Views: 102
0 0
Read Time:2 Minute, 43 Second

Relatório apresentou os novos desafios e oportunidades para o setor, além de recomendações para a segurança das redes 5G no contexto da evolução para redes distribuídas e baseadas em nuvem


As redes 5G baseadas em especificações técnicas da Third Generation Partnership Project (“3GPP”) ainda representam a tecnologia celular sem fio mais popular do mundo. Hoje, a 5G Americas, voz da 5G e LTE para as Américas, divulgou um novo relatório chamado “Segurança para 5G” apresentando os recursos e recomendações para garantir a segurança das redes 5G, além de novas informações sobre os recursos de segurança introduzidos nos Releases 15 e 16 da 3GPP.

Chris Pearson, Presidente da 5G Americas, disse: “A maior velocidade e menor latência das redes 5G estão começando a impactar em praticamente todos os aspectos da vida do consumidor e do setor corporativo. Felizmente, a segurança foi um dos aspectos chaves da tecnologia 5G desde o início e também durante seu desenvolvimento, planejamento e implementação”.

A segurança de redes é um assunto cada vez mais complexo e com mais largura de banda, velocidades maiores e muitos novos dispositivos e conexões, a 5G Americas está divulgando atualizações praticamente anuais sobre a segurança de redes celulares. ‘Segurança para 5G’ é o documento mais recente, suplementando os relatórios anteriores e focado em questões de segurança para 5G.

O relatório apresenta os novos desafios e oportunidades para o setor, além de recomendações para a segurança das redes 5G no contexto da evolução para redes distribuídas e baseadas em nuvem:

• Avanços da 3GPP para segurança 5G;

• Considerações de segurança 5G;

• Redes de confiança zero;

• Novos recursos de segurança no 3GPP Release 16;

• Segurança para segmentos verticais em 5G, p.ex. transporte, indústria e infraestrutura crítica;

• Segurança na cadeia de suprimentos;

• Segurança de RAN aberta.

relatório também analisa a segurança da tecnologia 5G em modelos de implementação privados, públicos e híbridos, além de questões como orquestração, automação, segurança nativa de nuvem e segurança da interface de programação de aplicativos (API). O relatório também avalia a transição de segurança baseada em perímetros para uma arquitetura de confiança zero para proteger ativos e dados de ameaças internas e externas.

Pramod Nair, Arquiteto de Soluções Técnicas – Segurança da Cisco e um dos líderes do grupo da 5G que escreveu o relatório, disse: “Para as operadoras, a 5G permite construir novos modelos de negócios. Para realizar o potencial da 5G, as organizações devem adotar a segurança de múltiplas camadas muito além das especificações 3GPP, usando uma abordagem pragmática e multicamada. A Segurança de Ponta-a-Ponta deve incluir RAN, SDC, MEC e implementações híbridas em múltiplas nuvens baseado em arquitetura nativa de nuvem, CI/CD seguro e segurança de confiança zero para 5G”.

Scott Poretsky, Diretor de Segurança, América do Norte, Soluções para Produtos de Rede da Ericsson e outro líder do grupo, explicou que: “A 5G continua sua integração com outras tecnologias chaves. Num ambiente de nuvem com múltiplas partes interessados, os fornecedores de software com funções nativas de nuvem, fornecedores de plataformas, operadoras de redes móveis, provedores de nuvem hyperscale e integradores de sistemas devem colaborar para claramente definir os requisitos, papeis e responsabilidades para a implementação da arquitetura e dos controles de segurança”.

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Brasil figura entre países mais vulneráveis a ataques virtuais na América Latina em 2021
Next post Gerenciamento de chaves da UE em 2022

Deixe um comentário