83% das organizações brasileiras aumentarão gastos com cibersegurança em 2022

Views: 132
0 0
Read Time:1 Minute, 22 Second

Pesquisa da PwC revela que 45% das empresas terão alta de 10% nos investimentos

Redação

Ontem às 14h39

Ataques hackers estão entre as principais preocupações dos gestores em 2021. Por isso, 83% das empresas brasileiras preveem aumento nos gastos com cibersegurança em 2022. No mundo, esse percentual é de 69%, de acordo com a pesquisa PwC Digital Trust Insights 2022.

O levantamento aponta que 45% das companhias brasileiras (26% no mundo) estimam aumento de 10% ou mais nos investimentos em segurança de dados. No ano passado, somente 14% demonstraram esta mesma preocupação (8% no mundo). Em 2021, 50% das empresas ouvidas afirmam ter destinado até 10% do orçamento de tecnologia para ações voltadas à segurança.

Mesmo com a previsão de alta nos investimentos, as organizações convivem no mundo com uma lacuna em relação a riscos de terceiros e da cadeia de suprimentos: cerca de 25% destas empresas têm pouca ou nenhuma compreensão desse tipo de risco. No Brasil, esta percepção é melhor tanto para a compreensão dos riscos quanto para a realização de ações relacionadas.

“No Brasil, tanto os CEOs como outros altos executivos acreditam que a missão da cibersegurança está mudando e assumindo um papel importante no desenvolvimento da confiança e na expansão dos negócios. Eles veem agora a importância dos dados que possuem”, afirma Eduardo Batista, sócio da PwC Brasil.

A pesquisa identificou que apenas cerca de um terço das organizações no mundo tem práticas avançadas de confiança de dados. No Brasil, os resultados são melhores para todas as práticas, como a adoção de processos e tecnologias para recursos de criptografia.

FONTE: CIO

Previous post Sai “Horizonte de ameaças”, 1° relatório de cyber do Google
Next post 60% das empresas sofreram com violação de dados no último ano, diz estudo da IBM

Deixe um comentário