Aumento de ataques à IoT é preocupante, afirma empresa de cibersegurança

Views: 27
0 0
Read Time:1 Minute, 42 Second

Cada vez mais presentes no dia a dia dos brasileiros, aparelhos têm se tornado alvos de cibercriminosos, alerta ISH Tecnologia

João Monteiro

No primeiro semestre de 2021, 1,5 bilhão de ataques a dispositivos de Internet das Coisas (IoT) ocorreram em todo o mundo, de acordo com a Kaspersky, fornecedora de soluções de cibersegurança. O número representa um aumento de mais de 100% em relação ao semestre anterior e acende um alerta para as empresas e pessoas que utilizam estes dispositivos, segundo a ISH Tecnologia, outra fornecedora de soluções de cibersegurança.

Os dispositivos IoT são aparelhos que atuam integrados a softwares, sensores e outras tecnologias que conectam e trocam dados pela Internet. Eles podem ir desde ferramentas industriais sofisticadas, como sensores de agricultura, a objetos domésticos, como termostatos e fechaduras inteligentes. Geralmente, a IoT é utilizada para prover mais dados para tomada de decisão ou automatizar funções. 

Porém, como é infelizmente o caso com maior parte das aplicações tecnológicas de hoje em dia, um uso cuidadoso tem que ser feito para evitar golpes e outras complicações. Lierte Bourguignon, CSO da ISH Tecnologia, aponta que todas as informações pessoais de qualquer usuário compartilhadas com um dispositivo desses estão potencialmente em risco em uma situação de invasão e/ou ataque. 

Isso porque, para serem mais baratos e fáceis de implantar, a grande maioria dos dispositivos não conta com nenhuma segurança interna. E como quanto mais cresce o interesse dos usuários nesse tipo de tecnologia, mais os olhos de cibercriminosos se voltam a esses tipos de ataques, o risco é eminente. 

Como se proteger? 

Dentre as outras sugestões da ISH para proteger dispositivos IoT, estão algumas “protocolares” para o bom uso de qualquer aparelho tecnológico, como evitar baixar aplicativos de procedência suspeita, atualizar o hardware sempre que possível e utilizar senhas difíceis de serem descobertas. 

“Pensando no uso corporativo, é fundamental também priorizar soluções de cibersegurança que contemplem ecossistemas IoT que, como vemos, estão cada vez mais integrados na nossa rotina”, conclui Bourguignon.

FONTE: IP NEWS

Previous post SMBs: Ransomware. O novo alvo dos atacantes
Next post Vírus pode ter infectado 9,3 milhões de dispositivos Android

Deixe um comentário