EUA exigem extradição de hackers que atacaram mais de 1000 empresas

Views: 48
0 0
Read Time:1 Minute, 21 Second

As autoridades americanas do Departamento de Justiça (DoJ), Tesouro e FBI fizeram uma força-tarefa para liquidar os hackers responsáveis de ransomware REvil, que implantaram malware em mais de 175 mil computadores no mundo, entre eles, na subsidiária norte-americana da JBS.

O procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, anunciou o indiciamento do ucraniano Yaroslav Vasinskyi, de 22 anos, e do russo Yevgeniy Polyanin pelo envolvimento nas operações do REvil. Vasinskyi foi preso no mês passado, na Polônia, e agora enfrenta acusações pelo ataque à Kaseya, o que causou a infecção de mais de mil empresas com ransomware.

O procurador geral disse que Vasinskyi — que atendia pelo nome de “Robotnik” — foi um dos cérebros por trás do ransomware REvil e está enfrentando um processo de extradição depois de ser preso pelas autoridades polonesas. Garland acrescentou que, embora Polyanin não tenha sido preso, ele também foi atingido por uma lista de acusações relacionadas a prática de hacking e teve US$ 6,1 milhões obtidos de pagamentos de resgate apreendidos por órgãos de aplicação da lei.

Além dos ataques contra Kaseya e a processadora de carne de origem brasileira JBS, o REvil é responsável por implantar seu ransomware em mais de 175 mil computadores. O grupo teria arrecadado ao menos US$ 200 milhões com resgates. Garland observou que Polyanin está associado a ao menos 3 mil ataques de ransomware. “Os ataques de ransomware de Polyanin afetaram várias empresas e entidades nos Estados Unidos, incluindo agências de aplicação da lei e municípios em todo o estado do Texas. Polyanin acabou extorquindo aproximadamente US$ 13 milhões de suas vítimas”, disse Garland.

FONTE: CONVERGÊNCIA DIGITAL

Previous post México prende suspeito de envolvimento no caso do spyware Pegasus
Next post Hackers roubam US$ 55 milhões de protocolo DeFi em ataque

Deixe um comentário