Malwares e rebranding de grupo cibercriminoso estão entre as vulnerabilidades de outubro

Views: 54
0 0
Read Time:1 Minute, 56 Second

No mês passado, destacaram-se um grupo que, segundo pesquisadores, pode ser o mesmo responsável pelo ataque à Colonial Pipeline nos EUA, além de novos e perigosos malwares

A ISH Tecnologia divulgou um relatório mensal onde aponta as principais vulnerabilidades e ameaças digitais encontradas pela sua equipe de pesquisa e avaliação de riscos no mês de outubro.

Em outubro, destacou-se o descobrimento de um malware do mesmo grupo responsável pelo massivo ataque à Solar Winds no fim de 2020, além de um grupo cujo modus operandi é muito semelhante ao responsável pelo ataque à Colonial Pipeline, nos Estados Unidos, colocando pesquisadores em dúvida se talvez não se trate dos mesmos cibercriminosos atuando com outro nome.

Confira a lista das vulnerabilidades encontradas:

FoggyWeb – novo Malware 

Consiste num novo Malware pertencente ao grupo cibercriminoso NOBELIUM, o mesmo responsável pelo massivo ataque à Solar Winds no fim de 2020. O FoggyWeb é utilizado para extração de dados de máquinas invadidas e execução de componentes por meio de uma brecha no ADFS, componente de softwares desenvolvidos pela Microsoft que permite logon único a diversos sistemas dentro de uma organização.

Vulnerabilidade Zero Day no Apache HTTP Server

O Apache é um programa básico de servidor Web utilizado para visualizar páginas da internet por meio de diferentes estações de trabalho. O fato de ser uma vulnerabilidade Zero Day significa que, em sua descoberta,  ainda não existia uma atualização para corrigi-la, foi encontrada antes que os programadores pudessem reagir. Por meio dela, conteúdos sensíveis utilizados no servidor podem ser vazados.

Ransomware Black Matter

Ransomware cuja atividade está registrada desde julho de 2021, o Black Matter consiste em um “Ransomware enquanto serviço”, que no jargão de cibersegurança, significa que criminosos utilizem ferramentas já desenvolvidas de outros malwares para executarem os ataques.

Seu funcionamento é muito parecido com o do grupo DarkSide, que entrou para as manchetes pelo ataque ao maior oleoduto dos Estados Unidos em 2021, o que tem feito pesquisadores analisarem que talvez seja o mesmo grupo, atuando com um nome diferente.

Mystery Snail

Mais um Malware que foi detectado, neste caso pela equipe da Kaspersky. Trata-se de um malware utilizado amplamente em cenários de espionagem de dados de empresas de TI, instituições diplomáticas e companhias que atuam em setores de defesa. 

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Ataque pega defesa, energia, saúde, tecnologia e educação
Next post Sua organização aceita correr riscos ou tem tolerância zero?

Deixe um comentário