“Golpe do Presente” rouba foto da vítima para fraudar reconhecimento facial

Views: 92
0 0
Read Time:2 Minute, 15 Second

Por Dácio Castelo Branco

Com a chegada do fim do ano, os consumidores, visando ofertas e descontos para as festas da época, acabam ficando mais propensos em serem vítimas de fraudes criminosas. O Procon-PR, em um vídeo no Facebook, alerta sobre esses crimes, principalmente o Golpe do “Presente”, que vem sendo detectado em Curitiba. E uma das novidades desse tipo de atividade é o fato de os bandidos roubarem imagens das vítimas para usá-las em fraudes com uso de reconhecimento facial.

O Golpe do “Presente” é uma fraude em que bandidos simulam uma entrega surpresa na casa do consumidor alvo. O entregador pede para fotografar a vítima, para confirmação do recebimento, além do preenchimento de um comprovante de delivery com dados pessoais, como RG e CPF. Depois, a partir dessas informações, os criminosos pedem empréstimos ou compram veículos no nome da pessoa enganada.

“Eles estão se dando ao trabalho de comprar uma lembrança, entregar para as pessoas e conseguir as informações para aplicar o golpe. São verdadeiras quadrilhas, que cada vez mais estão especializadas” afirma a diretora do Procon-PR, Claudia Silvano. Segundo a executiva, os bandidos usam da foto e dos dados pessoais para passar as medidas de segurança por reconhecimento facial de bancos, podendo assim realizar transações em nome de terceiros.

O Procon-PR, por fim, orienta que dados pessoais e fotografias não devem ser permitidas em entregas vindas de desconhecidos, ou não programadas pela população, já que podem ser tentativas de golpe.

Outros golpes

A época de Black Friday e de Natal sempre conta com aumento nas tentativas de golpes. Além da fraude acima, casos como os de lojas falsas online, feitas por bandidos para se passarem por varejistas renomados, também ocorrem com mais frequência Os endereços dessas lojas podem ser enviados tanto por SMS, e-mail ou mesmo anúncios falsos em sites

Outro golpe em alta é o de clonagem de perfis no WhatsApp, que segundo levantamento do Grupo CyberLabs, vitimou mais de 70 mil pessoas no Paraná, entre janeiro e agosto de 2021. Essa fraude consiste em um bandido se passando por alguém a partir do uso de sua foto de perfil no mensageiro e, a partir do cruzamento de dados, procurar parentes e conhecidos da pessoa para pedir dinheiro.

Em geral, as recomendações para se proteger destes golpes são simples: sempre confirmar a procedência de contatos e sites antes de inserir qualquer informação pessoal neles e suspeitar de qualquer conversa no WhatsApp fora do comum, principalmente de pessoas que você constantemente conversa que aparecerem com números novos. Mas é bom lembrar que os criminosos sempre estão se adaptando e criando novas formas de enganar as pessoas. Fique sempre atento.

FONTE: CANALTECH

Previous post Estratégias comprovadas de gerenciamento de riscos de terceiros
Next post BCG: empresas precisam adotar ‘criptoagilidade’ para manter cibersegurança no mundo quântico

Deixe um comentário