Fraudes bancárias envolvem abertura de contas no nome de pessoas físicas

Views: 57
0 0
Read Time:2 Minute, 30 Second

Com o vazamento de dados, fraudadores utilizam os dados para solicitar empréstimos e emitir cartões

O processo de abertura de contas foi simplificado no decorrer dos anos. E, na era digital, não é mais necessário nem sequer sair de casa para se tornar cliente de um banco: basta escolher a instituição financeira, enviar fotos do documento e aguardar a aprovação. Porém, a facilidade também pode abrir portas para golpes em nosso nome, e por isso é necessária muita atenção.

“Vazamento de dados estão cada vez mais completos e frequentes. Informações como RG, CPF, endereço e nome dos pais podem ser um prato cheio para golpistas que conseguem facilmente criar documentos falsificados. Com esses documentos, pessoas mal-intencionadas podem abrir contas falsas e realizar ações como solicitações de empréstimos e emissão de cartões de crédito”, alerta Gustavo Monteiro, Manager Director do AllowMe.

Este tipo de golpe pode afetar dezenas de milhões de pessoas – sejam elas vítimas diretamente de golpes ou clientes de empresas que porventura sofreram algum vazamento de dados. Por isso, o Banco Central criou uma ferramenta chamada Registrato, que permite que qualquer um consulte on-line em quais instituições financeiras possui uma conta aberta. Basta apenas ter uma conta gov.br e acessar o serviço do Bacen.

Além de verificar onde o seu CPF está atrelado a uma conta financeira, o Registrato permite tirar extratos para consultar informações sobre empréstimos e financiamentos em seu nome, suas chaves PIX, dívidas inscritas no Cadin (Cadastro Informativo) Federal, entre outras informações.

Além do Registrato, outra forma de saber se existem transações bancárias sendo realizadas em seu nome é por meio do sistema de proteção do Serasa – você pode baixar ou pedir para receber o alerta por e-mail – este serviço tem uma taxa mensal. Como quase todas as empresas consultam o Serasa, o sistema de proteção vai avisar se alguém tentou fazer um financiamento ou empréstimo em seu nome.

Caso a fraude aconteça, a equipe do AllowMe tem dicas sobre como agir:

1) O primeiro passo é entrar em contato com o banco ou instituição financeira (pode ser por qualquer canal de atendimento, não necessariamente você precisa ir a uma agência) e informar que não foi você quem abriu aquela conta. Peça o bloqueio imediato!

2) Faça um Boletim de Ocorrência, afinal criminosos podem estar usando seu nome para lavar dinheiro.

3) Faça uma reclamação no Banco Central, que é o órgão que regula os bancos e instituições financeiras. O Bacen informa que não interfere na solução individual de cada caso, mas a reclamação ajuda na fiscalização do sistema financeiro.

Não deixe de realizar um Boletim de Ocorrência, mesmo que o problema seja rapidamente resolvido. “O Boletim de Ocorrência é importante por conta da finalidade que o criminoso pode estar utilizando aquela conta que foi aberta em nome de outra pessoa. Se o fraudador usou para lavagem de dinheiro, a falta do BO pode trazer problemas futuros para aquela pessoa”, explica Fernando Guariento, Head de Professional Services do AllowMe.

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Mais de 50% dos SOCs operam com ferramentas redundantes
Next post Serviços de telemedicina: o que a LGPD estabelece para segurança dos dados pessoais de pacientes

Deixe um comentário