Phishing atinge 150 milhões de brasileiros em 2021

Views: 27
0 0
Read Time:2 Minute, 54 Second

Por Dácio Castelo Branco

phishing continua sendo uma ameaça séria de segurança. Uma pesquisa realizada pelo dfndr lab, laboratório de cibersegurança da PSafe, projeta que mais 150 milhões de brasileiros tenham sido vítimas deste tipo de golpe somente em 2021. 

Phishing é o nome dado para crimes virtuais que tentam enganar as vítimas a partir de sites e aplicativos falsos que se passam como páginas oficiais de empresas ou pessoas famosas, mantendo as mesmas características das originais, com pequenas alterações, como mudança em uma letra no endereço usado para acesso. 

A projeção de que mais de 150 milhões de brasileiros tenham sido vítimas deste crime em 2021 é alarmante, especialmente para empresas, já que normalmente esse tipo de ataque costuma ter como objetivo vazamentos de dados e, para atingir essa meta, tomam como alvos os colaboradores das companhias.

É importante frisar que essa projeção da PSafe é feita com base na quantidade de usuários de Android no Brasil atualmente, 131 milhões.

Exemplo de golpe de phishing se passando por grande varejista. (Imagem: Divulgação/PSafe)

Como consequência dos golpes de phishing, as vítimas podem ter seus dados pessoais roubados por cibercriminosos, o que pode ocasionar perdas financeiras e o vazamento de informações sigilosas. A PSafe alerta também que, em alguns casos, os criminosos podem usar pessoas como vetor do ataque, a partir da indução das vítimas, que em troca do compartilhamento de links maliciosos, recebem a promessa de benefícios ou recompensas. 

Marco DeMello, CEO da PSafe, avisa que esses golpes podem chegar por vários vetores, desde aplicativos de mensagens até falsos alertas de atualização de software: 

“As formas mais comuns de disseminação são SMS, e-mail, aplicativos de mensagens, falsas solicitações de atualizações ou falsas páginas de redes sociais. Basta que a vítima clique em um link malicioso ou insira seus dados em uma página falsa para que tenha seus dados comprometidos. Não são golpes muito sofisticados na maioria das vezes, mas que ainda assim fazem milhões de vítimas”.

Segundo o CEO da PSafe, os golpes de falsas promoções são o tipo de phishing com mais destaque no Brasil em 2021, correspondendo a 46% do total de phishing detectados, o equivalente a cerca de 65 milhões de vítimas. Em segundo lugar estão os golpes bancários, com 12,45%, correspondendo a aproximadamente 18 milhões de pessoas afetadas.

Formas de se proteger do phishing

Segundo apontado por Marco DeMello, as ferramentas mais avançadas de bloqueio de phishing hoje fazem uso de IA para identificar, sem nenhuma interação humana, as tentativas de golpes em tempo real, sendo até mesmo capazes de antecipar ataques e prever comportamentos perigosos. O CEO finaliza afirmando que, soluções de segurança baseadas em Inteligência Artificial, como a dfndr enterprise, da própria PSafe, são parte importante do futuro da segurança da informação.

Mas, além das soluções com IA, os especialistas da PSafe também separaram uma lista de dicas essenciais para a proteção das pessoas contra golpes de phishing:

  • Evite clicar em links de fontes desconhecidas, especialmente os que forem compartilhados via aplicativos de troca de mensagem e redes sociais;
  • Crie o hábito de duvidar das informações compartilhadas na internet, principalmente quando se tratar de supostas promoções, brindes, descontos ou até promessas de emprego.  E nunca informe dados sensíveis em links de procedência duvidosa;
  • Procure sempre confirmar a veracidade das informações nas páginas e sites oficiais das marcas.

FONTE: CANALTECH

Previous post Cibersegurança: a medida que garante a proteção de dados das empresas
Next post Olympus comunica 2° incidente em apenas um mês

Deixe um comentário