Windows 11: conheça as novidades de segurança da nova versão do Windows

Views: 91
0 0
Read Time:3 Minute, 57 Second

Usuários de Windows já podem atualizar seus sistemas para o Windows 11, a mais nova versão do sistema operacional da Microsoft, lançado oficialmente ao público na terça-feira (05). Além das novidades gráficas a nova versão do Windows promete ferramentas de segurança que vão desde hardware até a nuvem.

Segundo a Microsoft, o Windows 11 foi desenvolvido com foco em servir colaboradores de empresas no modelo híbrido (que dividem sua jornada de trabalho entre o home office e o escritório). “Com o Windows 11, hardware e software trabalham juntos para proteção da unidade de processamento central (CPU) até a nuvem, para que nossos clientes possam permitir produtividade híbrida e experiências de funcionários de alta qualidade sem comprometer a segurança”.

A nova versão do Windows promete diversos aprimoramentos de segurança, como uma otimização na segurança do hardware e das camadas mais internas como kernel, BIOS e sistema operacional, além de aplicações de segurança mais robustas com controles de privacidade e conectividade (autenticação de usuários sem necessidade de senha tradicional, o que segundo a Microsoft pode ser mais seguro que o modelo de acesso com login e senha).

Veja com mais detalhes cada um dos aspectos de segurança apresentado pela Microsoft abaixo:

Proteção de hardware e sistema operacional

A Microsoft explica que o Windows 11 armazena dados confidenciais atrás de uma barreira de segurança adicional, isolada do sistema operacional. “As informações incluindo chaves de criptografia e credenciais de usuário, são protegidas contra acessos não autorizados.

Além de que “hardware e software trabalham juntos para proteger o sistema” através de soluções como VBS e Secure Boot, integradas ao processador da máquina. “Mesmo que cibercriminosos entrem, ele não vão longe”, garante a empresa.

Aplicações de segurança robustas com controle de privacidade

O Windows 11 foi lançado com “várias camadas de segurança de aplicativos”, para proteger dados críticos e a integridade do código-fonte das aplicações. Segundo a Microsoft, os controles de privacidade e o código-fonte das aplicações foi isolado, o que permite que os desenvolvedores criassem aplicações mais seguras, desde o início.

“Essa segurança integrada protege contra violações e malware, ajuda a manter a privacidade dos dados e fornece aos administradores de TI os controles de que precisam.”

Usuário, autenticação e identidade

Conforme foi discutido pela The Hack durante o Mind The Sec 2021, no quadro What’s Next, o modelo de login tradicional, com usuário e senha, pode não ser a forma de autenticação mais segura. Com o avanço das tecnologias, desenvolvedores podem criar aplicações que autentiquem o usuário com base em outros dados como cookies, localização, comportamento, impressão digital do rosto e dos dedos e outros.

A Microsoft é uma das empresas que já testa esse modelo de acesso sem senha há um certo tempo e com o Windows 11 não seria diferente. A nova versão do sistema operacional foi equipada com proteção passwordless. “Após um processo de autenticação seguro, as credenciais são protegidas por trás de camadas de segurança de hardware e software, oferecendo aos usuários acesso seguro e sem senha a seus aplicativos e serviços em nuvem.”

Segurança em nuvem

Para atender as necessidades de profissionais atuais, que trabalham em um modelo híbrido por natureza, tanto em casa como no escritório, utilizando ferramentas de trabalho colaborativo em nuvem, o Windows 11 não poderia deixar de se preocupar com esse não tão novo tipo de usuário.

“A Microsoft oferece serviços de nuvem abrangentes para gerenciamento de identidade, armazenamento e acesso, além de ferramentas para atestar que qualquer dispositivo Windows conectado à sua rede é confiável.”

Fim do suporte do Windows 10

A Microsoft também anunciou que o fim do suporte para o Windows 10 será no dia 14 de outubro de 2025. A empresa espera que até essa data todos os seus usuários migrem para a nova versão do sistema operacional.

E se você está nesse momento se perguntando “será que vai rodar no meu notebook de 2011?”, o sistema prometer ser leve, eficiente e não é tão exigente com relação aos requisitos mínimos. Aqui estão as configurações de hardware mínimas para rodar o Windows 11, conforme recomenda a Microsoft:

Microsoft recomenda um processador de dois núcleos e com pelo menos 1GHz de processamento, além de 4 GB de memória RAM. A maioria dos processadores fabricados nos últimos anos ultrapassa esses requisitos. No entanto, talvez seja necessário comprar mais RAM em casos de computadores mais antigos, que tenham menos que 4 GB de RAM. Foto: The Hack.
Microsoft recomenda um processador de dois núcleos e com pelo menos 1GHz de processamento, além de 4 GB de memória RAM. A maioria dos processadores fabricados nos últimos anos ultrapassa esses requisitos. No entanto, talvez seja necessário comprar mais RAM em casos de computadores mais antigos, que tenham menos que 4 GB de RAM. Foto: The Hack.

“O Windows 11 enfrenta o desafio das ameaças modernas da computação híbrida e permite que os clientes obtenham o máximo de produtividade e experiências intuitivas sem comprometer a segurança”, conclui a empresa, em um comunicado publicado no seu blog de segurança.

FONTE: THE HACK

Previous post CVC se torna a nova vítima de ataque hacker
Next post Entenda porque o Facebook, Instagram e WhatsApp ficaram fora do ar

Deixe um comentário