Telegram se torna novo host para cibercriminosos

Views: 164
0 0
Read Time:1 Minute, 41 Second

Aplicativos de mensagens está sendo explorado para atividades maliciosas, como ransomware, hacking de dados

O Telegram é um dos aplicativos de mensagens instantâneas de crescimento mais rápido na atualidade. Com uma interface de usuário muito simples, o app começou a ganhar popularidade há cerca de dois ou três anos. Embora, apenas mensagens não sejam o caso do Telegram, ele está sendo explorado por muitos cibercriminosos como uma plataforma onde eles podem tentar atividades maliciosas, como crimes cibernéticos, ransomware, hacking de dados, etc.

Segundo relatos, o Telegram tem mais de 500 milhões de usuários ativos e teve 1 bilhão de downloads em agosto.

Uma investigação da Cyberint, um grupo de inteligência cibernética, junto com o jornal britânico Financial Times, encontrou uma rede de hackers compartilhando vazamentos de dados, em grupos ou canais, de milhares de assinantes. O conteúdo é conhecido por ser encontrado na dark web, acessado por muitos hackers usando software oculto.

“Recentemente, testemunhamos um aumento de mais de 100% no uso do Telegram por cibercriminosos”, disse Tal Samara, analista de ciberameaças da Cyberint, em um comunicado.

A principal razão para esse aumento foram as regras de criptografia alteradas e aprimoradas pelo maior rival, o WhatsApp, que tornou difícil transportar tais crimes nele. É por isso que os hackers agora estão migrando para o Telegram.

A incidência de crime cibernético é relatada em que um canal chamado “Combolist”, com mais de 47 mil assinantes, com informações confidenciais, tais como nomes de usuários e senhas vazadas de inúmeras pessoas. Acredita-se que alguns dos dados contêm os nomes e IDs de vários gamers que utilizam o Minecraft, Origin ou Uplay.

O Telegram supostamente removeu este canal da plataforma alguns dias atrás, mas é um dos muitos canais que estão por aí, fazendo exatamente as mesmas atividades criminosas. Embora o Telegram esteja atualizando vigorosamente suas políticas de privacidade, esse esquema de crimes cibernéticos está se espalhando a um ritmo alarmante. Recentemente o app removeu mais de 10 mil contas da plataforma que foram consideradas suspeitas.

FONTE: CISO ADVISOR

Previous post Campanha de ataques ao setor aéreo já dura dois anos
Next post Vulnerabilidade no XVIDEOS permite redirecionamento de usuários para páginas falsas

Deixe um comentário