Crescimento nos investimentos em cibersegurança e o que esperar para o segundo semestre

Views: 74
0 0
Read Time:2 Minute, 14 Second

Chegada da LGPD reforça a importância dos investimentos em cibersegurança

Independente de serem pequenas ou grandes, as fraudes provocam perdas financeiras e ameaças à sustentabilidade de qualquer negócio. A cada ano, podemos perceber a quantidade enorme de dados trafegados diariamente para que possamos fazer o seguinte questionamento: como conseguimos nos manter protegidos diante desse volume tão grande de informações se não tivermos mecanismos para isso?

Além de todo esse tráfego, a Lei Geral de Proteção de Dados em vigor reforça ainda mais a importância de investir em soluções que sejam capazes de garantir a proteção dos seus dados e de seus clientes e, com isso, evitar processos judiciais futuramente.

Quando falamos em cibersegurança, temos que ter de forma muito clara que isso não é mais um investimento do futuro e jamais deve ser visto como um gasto. Além disso, cada vez mais os usuários estão verificando os certificados das companhias antes de efetuarem compras ou passarem seus dados no ambiente virtual, o que salienta a necessidade de investimento em segurança cibernética.

Li recentemente em uma notícia, uma fala do presidente dos Estados Unidos que podemos usar como exemplo para intensificar a importância da aplicação de recursos ao setor de cibersegurança. Até mesmo um dos governos mais poderosos do mundo está suscetível a ataques cibernéticos que além de muita dor de cabeça, geram altos prejuízos financeiros.

Já o cenário atual, não é ideal. As necessidades trazidas pela pandemia, porém, estão fazendo com que esses números cresçam e nos dando uma boa perspectiva para o segundo semestre. Um levantamento chamado Barômetro da Segurança Digital 2021, mostra que 80% das empresas dos setores de educação, financeiro e seguros, tecnologia e telecomunicação, saúde e varejo entendem a importância da cibersegurança para seu negócio, mas isso não é uma prioridade no orçamento para 39% delas.

Para o segundo semestre podemos esperar que a curva de crescimento dos investimentos se acentue ainda mais, principalmente se tratando de serviços financeiros e dos bancos de dados dos clientes, uma demanda gerada pelo frescor da LGPD. Junto a isso, o maior desafio para as corporações é conscientizar os funcionários sobre a importância do tema, uma dificuldade que com o passar do tempo e das situações vividas pelos mais diversos usuários deve se tornar mais maleável devido a exposição dos próprios funcionários.

Tendo em vista os frequentes ataques recebidos não só por empresas privadas, mas também por órgãos públicos, como o recente ataque de ransomware sofrido pelo Tesouro Nacional Brasileiro, devemos reforçar que o investimento em cibersegurança não pode ficar para o futuro e deve ser pensado com urgência para diminuir os riscos.

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post Renner comunica que não houve vazamento de dados
Next post Cibercrimes no Brasil crescem em 23% em 2021, aponta pesquisa

Deixe um comentário