Cibercrimes no Brasil crescem em 23% em 2021, aponta pesquisa

Views: 86
0 0
Read Time:2 Minute, 25 Second

Um levantamento da empresa de cibersegurança Kaspersky aponta que o Brasil teve um aumento de 23% nos casos de cibercrimes nos primeiros oito meses de 2021 em comparação ao mesmo período no ano anterior. Os números da empresa registraram que os golpistas brasileiros são responsáveis por 481 milhões de tentativas de infecção com os 20 malwares mais populares — o que equivale a 1.395 tentativas por minuto.

Os dados, divulgado no Fórum Konferencia@Casa 2021 da Kaspersky, mostram que o país acompanha a tendência da região. O levantamento, liderada pelo equipe de Pesquisa e Análise da empresa na América Latina, aponta que o Brasil está em primeiro como perpetrador dos ataques, seguido pelo México (299 bloqueios/min), Peru (96 bloqueios/min), Equador (89 bloqueios/min) e Colômbia (87 bloqueios/min).

O estudo indica que o aumento se faz presente em quase toda a região, liderado pelo Equador (75%), Peru (71%), Panamá (60%), Guatemala (43%) e Venezuela (29%). Apenas a Costa Rica apresenta decréscimo nos números, com queda de dois pontos percentuais.

Para o diretor da equipe, Dmitry Bestuzhev, o aumento das tentativas de infecção está diretamente ligado à crescente na pirataria.

“Identificamos famílias de malware que nos permitem dizer que os internautas latino-americanos procuram as ameaças, pois são disseminadas por meio da pirataria de programas”, afirma o pesquisador.

Brasil lidera em Ransomware e Phishing em 2021

Ilustração mostra várias correntes presas a um cadeado, com uma nuvem travada por trás dele, simbolizando um ataque de ransomware
Incidência de Ransomwares aumentou em 78% na América Latina, com Brasil no topo (Imagem: Foxeel/Shutterstock)

Outros dados do Fórum apontam que se cibercrimes fossem jogos olímpicos, o ouro de 2021 seria todo do Brasil. O país registrou o maior número de tentativas de phishing, com 5,4% dos internautas registrando alguma forma de ataque. A prata e o bronze ficariam com o Equador (13,4%), Panamá (12,6%), enquanto Chile (12%) e Colômbia (11%) permanecem fora do páreo por pouco.

A Kaspersky nota que, apesar do placar, os números de mensagens fraudulentas diminuíram no mundo todo em comparação ao mesmo período em 2020. Países que registram mais de 14% de tentativa de phishing são o Brasil, França e Mongólia.

A análise também aponta que o Brasil figura no topo das tentativas de ransomware: neste ano foram mais de 5 milhões de tentativas de sequestro de dados. “Ao comparar os oito primeiros meses de 2020 com os de 2021, verificamos aumento de 78%”, afirma Bestuzhev sobre o quadro geral dos ataques.

Além do Brasil, Colômbia (1,8 milhão), México (1,7 milhão), Chile (1 milhão) e Peru (507 mil) permanecem com números expressivos desta modalidade de cibercrimes em 2021. Em relação ao crescimento, Costa Rica (378%), Venezuela (113%) e Argentina (91%) que apresentaram maior incidência.

O Panorama também registra média de 1 tentativa de ataque a sistemas industriais por hora na América Latina, e mais de 11 mil ataques contra estações de trabalho Windows por hora.

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post Crescimento nos investimentos em cibersegurança e o que esperar para o segundo semestre
Next post Volta aos escritórios: como aumentar a segurança digital na era do trabalho híbrido

Deixe um comentário