Uma nova geração de hackers está chegando

Views: 124
0 0
Read Time:2 Minute, 21 Second

Uma nova geração de hackers está chegando com tudo —  e se você leu essa afirmação e já pensou em cibercriminosos, recomendo que dê uma lida na minha coluna anterior.  Refiro-me a jovens éticos e talentosos, com uma visão técnica, criativa, diferenciada e que estão prontos para nos ajudar a enfrentar os problemas de segurança e privacidade no mundo da tecnologia. A constatação, portanto, é ótima!

Quando comecei a produzir conteúdo sobre hacking e segurança da informação em meu canal no Youtube, no finalzinho de 2017, eu confesso que não imaginava quem exatamente seria meu público. Ainda que desde o início eu tenha optado por usar uma linguagem mais leve e descontraída, eu esperava ser assistido por aqueles que já eram da área. Logo nos primeiros vídeos, entretanto, comecei a perceber que pessoas que simpatizavam com tecnologia, mas não necessariamente eram estudantes ou profissionais em T.I, demonstravam interesse em minhas abordagens.

Comecei a falar de hacking associado à assuntos populares na plataforma, como gamese até BBB, e com isso pude fisgar usuários que estavam no Youtube em busca desse tipo de entretenimento, e que, ao clicar em meus vídeos, acabavam sendo apresentados a uma área da tecnologia que muitos até então desconheciam. E funcionou!  Com muita satisfação, recebo todos os dias mensagens de seguidores que me contam que escolheram estudar T.I ou hacking por terem se apaixonado pelo assunto após terem conhecido o meu canal. Alguns dividem comigo suas primeiras conquistas, como vulnerabilidades reportadas em programas de recompensa de empresas mundo afora – o que, como você deve imaginar, me faz morrer de orgulho.

Hoje, é nítido que estou me comunicando com uma nova geração de hackers. E não digo apenas pelo incrível feedback do público que me acompanha. Pesquisas feitas pelas principais plataformas de gestão de programas de recompensa por vulnerabilidades (os “bug bounties”) também evidenciam esse movimento.

A Bugcrowd revelou, em um estudo publicado no último mês de dezembro, que 53% das vulnerabilidades reportadas em 2020 foram submetidas por hackers que têm entre 18 e 24 anos de idade, deixando clara a dominância da “Geração Z”. Já a HackerOne aponta a chegada de novos talentos: a plataforma reportou o aumento de 63% no número de hackers que identificaram vulnerabilidades no ano passado. A mesma plataforma, inclusive, tem incríveis casos de sucesso com jovens. Em 2019, o argentino de apelido “try_to_hack” foi o primeiro hacker a somar 1 milhão de dólares em recompensas por vulnerabilidades identificadas, tendo apenas 19 anos de idade. Os números batem com a base de usuários que me acompanha. Pelo Youtube, 45% dos meus seguidores possuem entre 18 e 24 anos de idade.

É animador ver a presença da geração Z no hacking. Eles certamente chegaram para contribuir com o ambiente que é seu habitat natural.

FONTE: CANALTECH

Previous post As empresas estão seguras? Parece que não
Next post MPMA disponibiliza cartilha com orientações contra crimes cibernéticos

Deixe um comentário