Cibercriminosos vazam fotos de 13 mil documentos e dados de 227 milhões de brasileiros

Views: 74
0 0
Read Time:1 Minute, 36 Second

Por Ricardo Krusty

Foi divulgado na tarde desta quarta-feira (28), mais um vazamento de dados que afeta o público brasileiro. De acordo com a empresa de cibersegurança Syhunt, fotos de 13 mil documentos como RGs, CPFs e CNHs, além de dados de 227 milhões de brasileiros, foram colocados à venda em um fórum por dois cibercriminosos, identificados como “YZK” e “Sr_Siriguejo” e parecem agir de maneira independente.

Segundo a Syhunt, duas postagens realizadas em um conhecido fórum colocam à venda dois vazamentos distintos: o primeiro envolve as fotos de 13 mil documentos como RG, CPF e CNH, além de um número não revelado de cartões de crédito em um pacote de 1,2 GB, já o segundo vazamento oferece 37,7 GB de dados, “incluindo o nome das mães de 227 milhões de brasileiros, além de vazar o nome das mães de 2 milhões e meio de brasileiros como amostra grátis”, afirma a Syhunt.

Em relatório enviado ao site TecMundo, a empresa diz que “A origem e o ano das fotos dos documentos não é revelada pelos hackers. Uma foto fornecida como amostra mostra uma mulher segurando sua carteira de identidade que teria sido emitida em 2011 no Estado de São Paulo”. Especula-se que os dados foram obtidos em um servidor do DETRAN/DF.

Assim como nos vazamentos registrados em janeiro e em fevereiro deste ano, é provável que essas informações sejam usadas em golpes de phishing. Veja como se proteger:

  • Não clique em links desconhecidos recebidos no WhatsApp, email e redes sociais;
  • Não faça pagamentos de qualquer natureza após contato online: sempre ligue para a pessoa para confirmar;
  • Não aceite cobranças bancárias via telefone ou email: seja próativo e entre em contato com banco caso tenha dúvida;
  • Ative a autenticação em dois fatores de todas as contas e serviços que os oferecem;
  • Tenha um antivírus instalado no PC e celular.

FONTE: JURISTAS.COM.BR

Previous post Agências de inteligência revelam os principais alvos de ciberataques desde 2020
Next post Em um mundo conectado, planejar é saída para falta de insumos

Deixe um comentário