Proteger a nuvem e o orçamento da empresa — é possível?

Views: 58
0 0
Read Time:3 Minute, 25 Second

Ramon de Souza

Se alguém ainda tinha alguma dúvida se a computação na nuvem era mesmo o futuro ou não, essa questão foi prontamente respondida com a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV2). Com o advento do trabalho remoto e a necessidade de entregar aplicações críticas com alto desempenho para dispositivos ao redor do mundo inteiro, as empresas — em ritmo acelerado de transformação digital — viram nas infraestruturas de cloud computing a chance de preencher essa lacuna

Uma coisa é certa: a nuvem veio para ficar. Mesmo no cenário pós-pandemia, a mobilidade profissional deve ser mantida. De acordo com uma pesquisa feita pela consultoria KPMG, pelo menos 34,9% dos empresários brasileiros planejam um retorno gradual aos escritórios a partir de setembro deste ano; porém, 50% dos entrevistados afirmam que apenas 30% da equipe total trabalhará presencialmente. Só tem um problema: e a segurança desses novos ambientes e conexões, como fica?

Um recente relatório feito pela IDG Latin America em novembro de 2020 apontou que 39% das violações de dados na região aconteceram por meio de ataques a aplicações web acessadas pela nuvem. Fica clara a importância de proteger tais pontos, mas as incertezas econômicas enfrentadas por muitas empresas se transformam em um freio na hora de contratar novas soluções de segurança adaptadas para a realidade atual. Afinal, é possível proteger a nuvem sem comprometer o orçamento corporativo?

Harmonia entre investimento e segurança

A resposta é sim, e, para isso, existem duas estratégias propostas por Arley Brogiato, diretor da SonicWall para a América Latine e o Caribe. A primeira delas é contratar um provedor de serviços gerenciados de segurança (Managed Security Services Provider ou MSSP), que pode reduzir seus custos com infraestrutura de cibersegurança em até 25%. “Esse valor evidencia várias despesas que deixam de ser feitas: aquisição de tecnologias, licenciamento de atualizações e serviços oferecidos pelos fornecedores de segurança e gastos com serviços de suporte”, explica Arley.

Outra vantagem oferecida pelos MSSPs é a grande expertise técnica de seu time. Muitos MSSPs foram criados por experts em segurança transformados em empreendedores — são profissionais que sabem que o crescimento de seus negócios depende de investimentos constantes na renovação de seu data center (on-premises ou na nuvem) e na capacitação de seu time. Com isso, além de ajudar o CISO e o CIO a enfrentar os ataques digitais contra a nuvem, o MSSP resolve, na forma de serviços terceirizados, o imenso déficit de profissionais de segurança do nosso mercado”, complementa o executivo.

A segunda estratégia é apostar em plataformas de acesso remoto seguro, que pode sair muito mais barato do que o Secure Access Service Edge (SASE), cuja complexidade pode não ser necessária em determinados casos de uso. “O SASE pode custar até vinte vezes mais do que um outro tipo de tecnologia madura que reduz os riscos do acesso remoto na nuvem. Trata-se das plataformas de acesso remoto seguro, soluções que garantem a conectividade do colaborador à nuvem num modelo ‘clientless’, que dispensa a instalação de softwares no PC, tablet ou smartphone do usuário”, afirma Arley.

Flexíveis, essas plataformas usam múltiplos fatores de autenticação (senha, biometria, token etc.) para verificar a real identidade do colaborador que está tentando acessar aplicações críticas na nuvem. “O gestor de segurança pode, também, disparar ‘questionamentos’ a serem feitos pela solução de acesso remoto ao desktop do usuário. Questiona-se, por exemplo, a última vez que patches foram atualizados. A partir do diagnóstico feito, bloqueia-se o acesso. A inteligência dessa oferta garante que a proteção seja baseada em biometria comportamental, não em assinatura”, complementa.

Acesso remoto com quem entende do assunto

A SonicWall promove o conceito de Cibersegurança sem Limites, que garante proteção de ponta a ponta para o seu negócio. Contamos com Parceiros de negócios em todo o país para melhor atender clientes e empresas. Entre eles estão a Alerta Security, a Assisnet Soluções e a Portnet Tecnologia. Caso tenha interesse em conhecer mais sobre as nossas soluções de segurança cibernética, entre em contato com a SonicWall ou um de nossos parceiros autorizados.

FONTE: THE HACK

Previous post Quase 90% das mensagens fraudulentas são disseminadas via WhatsApp, aponta pesquisa
Next post Ataque a empresas financeiras sobe 40 vezes com home office

Deixe um comentário