5 tipos de ataques hackers mais comuns no Brasil

Views: 139
0 0
Read Time:2 Minute, 16 Second

Entenda mais sobre os 5 ataques digitais mais utilizados por hackers no Brasil atualmente

Segundo a pesquisa “Tendências de Adoção de Soluções de Segurança e IAM”, realizada pelo Gartner, o principal fator de impacto na segurança da informação para os próximos quatro anos será a evolução das ameaças cibernéticas. Isso inclui tanto novas formas de ataques quanto o aprimoramento daqueles já usados. A cada ano que passa, os números sofrem altas vertiginosas, ainda mais após o início da pandemia.

E como o Brasil entrou em 2020 para a lista dos 10 países mais atacados do mundo, de acordo com dados da NSFOCUS, uma das líderes globais em segurança cibernética, o especialista Fernando Ticianeli, arquiteto de soluções da empresa na América Latina, elencou abaixo as cinco invasões mais usuais no país. Confira:

Ransomware

Considerado o tipo de ataque que mais cresceu nos últimos anos, basicamente visa criptografar os dados dos clientes através de vulnerabilidades de redes, assim como vulnerabilidades conhecidas de fabricantes de servidores e sistemas operacionais. Uma vez explorada e criptografado os dados do cliente, um resgate de altíssimo valor é solicitado.


DDoS

É aquele ataque que consiste em deixar suas vítimas fora do ar, normalmente são operadoras de telefonia, órgãos do governo e instituições bancárias. Basicamente, são duas formas utilizadas para este tipo de invasão: pelo esgotamento dos links ou retirar do ar tanto um firewall, quanto servidores e IP’s. Essa segunda forma pode esconder um ataque smokescreen, que após o ataque DDoS, busca outra vulnerabilidade na rede para roubar de dados.


Phishing

Entre os mais frequentes e relativamente fácil de ser aplicado, o Pishing consegue atingir vários usuários ao mesmo tempo. Ele visa o roubo de informações ou credenciais através da simulação de serviços válidos, como o link malicioso em um e-mail, por exemplo, onde o criminoso rouba dados pessoais. Dependendo do ataque, ele consegue também espalhar vírus e trojans à lista de contatos de redes sociais ou do celular


Força Bruta (Brute Force)

Responsável por forçar a entrada em sites, servidores, aplicativos, etc, por meio de sucessivas tentativas de acertar uma combinação de senha para conseguir acesso aos dados que o hacker almeja. Pode ser aplicado de duas formas: manual, realizando tentativas de login e senha no serviço, e automática, onde um software é responsável por captar palavras e números para tentar se logar.


Malware

Trata-se de softwares maliciosos capazes de infectar um sistema secretamente, causando danos, alterações e, até mesmo, roubando informações. Da mesma forma, pode bloquear acessos de usuários. Usado contra empresas e pessoas físicas, entre os exemplos mais comuns para contaminação estão downloads de softwares que contém malware oculto, acesso a sites infectados e anexos contaminados de e-mails.

FONTE: EPIC GEEK

Previous post Dados pessoais na área da saúde: novas responsabilidades de hospitais, clínicas e planos
Next post Crescimento de e-mails falsos acende alerta para golpes; veja como não cair

Deixe um comentário