Grupo Fleury foi vítima do mesmo ransomware que infectou TJ-RS, Sol Oriens, JBS e Colonial Pipeline

Views: 102
0 0
Read Time:1 Minute, 51 Second

O Grupo Fleury, uma das maiores redes de clínicas e serviços médicos do Brasil, que comunicou ter sofrido um ataque cibernético na última semana, foi infectada pelo ransomware REvil, o mesmo responsável pelo ataque ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), a fornecedora de tecnologia para desenvolvimento de armas nucleares, Sol Oriens, a JBS e a Colonial Pipeline.

A informação foi apurada pelo portal BleepingComputer, que ouviu fontes ligadas ao caso. De acordo com o portal, várias fontes do setor da segurança da informação revelaram que o Grupo Fleury foi infectado pelo ransomware REvil, também conhecido como Sodinokibi, que está exigindo um resgate equivalente a mais de U$ 5 milhões (R$ 24 milhões) em criptomoedas.

Mensagem com informações e data para pagamento do resgate, deixada pelos cibercriminosos. Foto: BleepingComputer.
Mensagem com informações e data para pagamento do resgate, deixada pelos cibercriminosos. Foto: BleepingComputer.

A The Hack entrou em contato com o Grupo Fleury, que não confirmou ter sido infectado por um ransomware e também não informou se pagou ou não o resgate dos dados, apenas que está trabalhando em parceria com empresas especializadas para responder ao caso.

“O Grupo Fleury informa que conta com empresas especializadas para avaliar o incidente cibernético, aguarda a conclusão dos trabalhos e não comenta quaisquer rumores de mercado“, disse um porta-voz da empresa à The Hack.

Na mensagem deixada pelos cibercriminosos, enviada ao BleepingComputer, estava sinalizado que a data limite para o pagamento era sexta-feira (25) e caso não fosse pago, o grupo vazaria os dados roubados da empresa, em sua página na dark web e o valor para o resgate desses dados passaria a ser de U$ 10 milhões (R$ 48 milhões).

No entanto, como a empresa não confirma essas informações, ainda não há como saber se o valor de cerca de R$ 24 milhões foi pago aos cibercriminosos.

Segundo o próprio Grupo Fleury são mais de 9 mil funcionários, além de mais de 2 mil médicos empregados, divididos em cerca de 216 unidades de atendimento. A empresa opera sob as marcas: Fleury Medicina e Saúde; a+ Medicina Diagnóstica; Laboratório Weinmann; Labs a+; Clínica Felippe Mattoso; Diagnoson a+; Weinmann Serdil; Instituto de Radiologia; Campana e outros.

FONTE: THE HACK

Previous post Boom de ataques de ransomware deve mudar apólices de seguros digitais
Next post Nova temporada de Rick and Morty cria onda de ataques de ransomware

Deixe um comentário