Governo Federal começa a testar reconhecimento facial em aeroportos

Views: 168
0 0
Read Time:1 Minute, 25 Second

governo federal anunciou nesta terça-feira (15) o início de um projeto piloto com câmeras de reconhecimento facial nos aeroportos de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

De acordo com a diretora da secretaria de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Fabiana Todesco, o novo método de comprovação tirará as preocupações dos passageiros com documentação ou bateria do celular, por exemplo.

Fachada do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com caudas de aviões ao fundo
Governo Federal começa a testar reconhecimento facial em aeroportos.
Imagem: Thiago B Trevisan/Shutterstock

Por ora, o projeto está presente em uma única companhia aérea e em poucos voos. O procedimento é realizado através de um aplicativo onde o passageiro fornece o número do seu CPF e uma foto do rosto.

Em seguida, o aplicativo cruza as informações fornecidas com o banco de dados do governo federal para comprovar a identidade daquela pessoa.

Futuramente, espera-se que os cartões de embarque sejam deixados de lado e que todo o processo para viajar funcione por meio de aplicativos das próprias empresas de aviação. Serão instalados totens com leitores digitais que realizarão o reconhecimento facial no momento em que o passageiro entra na sala de espera dos aeroportos e antes dele embarcar na aeronave.

Brenno Sampaio, superintendente de relacionamento com clientes do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), afirmou que além da segurança, o procedimento também agrega eficiência e rapidez no processo de entrada nas áreas seguras dos aeroportos.

Sampaio ainda ressaltou que em um momento como que vivemos, de pandemia, o projeto de reconhecimento facial auxilia em questões sanitárias, evitando que os documentos do passageiro sejam manuseados por terceiros, no caso, funcionários das companhias aéreas.

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post 7 Erros Comuns Que O Fazem Ser Hackeado
Next post “Sem cibersegurança, não haverá segurança nacional”, diz Wong Sio Chak

Deixe um comentário