Mais de 8 bilhões de senhas são expostas no maior vazamento da história

Views: 27
0 0
Read Time:1 Minute, 57 Second

Muitas das senhas, que têm entre seis e 20 caracteres, foram reunidas a partir de vazamentos anteriores

Os vazamentos de dados da internet não param de crescer, cada vez maiores e mais perigosos. De acordo com informações publicadas pelo site Cyber News, especializado em cibersegurança, um arquivo de texto com 100 GB foi compartilhado em fóruns de hackers com mais de 8,4 bilhões de senhas. Segundo especialistas e analistas da área de segurança digital, este é o maior vazamento já registrado de dados confidenciais de usuários de internet no mundo.

O caso, chamado de RockYou 2021, é uma referência direta ao vazamento RockYou, de 2009, que na época expôs 32 milhões de senhas. Vale dizer, porém, que nem todos os dados são novos. Muitas dessas senhas, que têm entre seis e 20 caracteres, foram reunidas a partir de vazamentos anteriores — a partir de empresas como LinkedIn, Facebook e outras redes. No entanto, analistas alertam para o risco da centralização dessas informações em um só lugar.

O tamanho do vazamento é tão grande que analistas alertam que ali podem estar senhas de todos os usuários de internet do mundo. Afinal, do total da população do globo, 4,7 bilhões de pessoas usam a internet. Assim, há quase o dobro de informações em apenas um único documento — podendo, inclusive, contar com diferentes senhas usadas por um mesmo usuário. É urgente, então, que usuários revisem suas informações pessoais de acesso às redes sociais.

Proteção contra vazamento de senhas

A indicação geral de especialistas é de que as pessoas permaneçam atentas nos dias seguintes aos megavazamentos. Isso porque  os criminosos que compram a base de dados tentam aplicar golpes nas vítimas por meio da chamada engenharia social. São fraudes, boletos falsos e e-mails com informações básicas que tentam obter dados ainda mais sensíveis,  como bancários e outros não disponíveis no vazamento.

Outra dica de especialistas diz respeito à atualização de senhas de redes sociais e de e-mails, que deve ser feita periodicamente por questão de segurança para evitar clonagem.  O mais seguro, dizem,  é não usar a mesma senha para diferentes sites ou plataformas, assim como também é indicado não colocar dados pessoais simples nesses passes de segurança, como data de nascimento ou nome de familiares. Isso facilita a ação de hackers

FONTE: DCI

Previous post Grupo iraniano é suspeito de uma nova onda de ciberataques contra israelenses
Next post Vulnerabilidades do setor de saúde exigem intensas medidas contra ataques cibernéticos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *