Cibersegurança é aliada das organizações na adequação à LGPD

Views: 73
0 0
Read Time:2 Minute, 48 Second

Houve um aumento de 330% no número de tentativas de ataques cibernéticos no país em 2020.

A maior utilização da tecnologia fez com que, consequentemente, fossem criadas novas leis e maneiras protetivas de assegurar informações e dados encontrados em servidores digitais. Neste artigo, falaremos sobre como a Lei Geral de Proteção de Dados motivou o governo e as empresas a aumentar a preocupação com a cibersegurança – ideia reforçada devido aos recorrentes ataques a servidores. 

A cibersegurança é o serviço que protege computadores e servidores, seu aparelho de celular, qualquer sistema eletrônico, redes e quaisquer dados de ataques digitais. É um dos braços da Tecnologia da Informação (TI). Ela é uma grande aliada para todas as organizações que querem estar em compliance com a nova lei de proteção de dados.

Como a LGPD impacta o governo e as empresas?

A LGPD orienta o Estado e as empresas a se conscientizarem sobre o risco do vazamento de informações e faz com que todos no meio digital tenham noção dos riscos e dos cuidados necessários. Ao entrar em conformidade com a lei, as empresas e os governos evitam vazamentos e uso indevido das informações pessoais dos cidadãos, consequentemente evitando multas e bloqueios com a LGPD em vigor.

A nova lei motiva a criação de novos mecanismos de cibersegurança, para evitar futuros ataques. Por mais comum que possam parecer os riscos de não investir em cibersegurança, muitas pessoas que estão se adaptando ao mundo digital não sabem as chances de haver vazamentos e fraudes, por exemplo. O agravamento da pandemia faz com que algumas pessoas se aproveitassem da desinformação para aplicar golpes e roubar dados, ainda mais com as pessoas realizando cada vez mais tarefas pela internet. 

No Brasil, os ataques cibernéticos estão se tornando mais recorrentes. De acordo com uma pesquisa da Kaspersky, empresa especializada em segurança virtual, houve um aumento de 330% no número de tentativas de ataques cibernéticos no país em 2020. A nível global, houve um aumento de 341% durante a pandemia, segundo a Nexusguard.

Resultados da implantação da cibersegurança

Estar em conformidade com a LGPD resulta em uma imagem mais transparente da empresa para os clientes. Pessoas confiam em empresas que garantem a privacidade de todos os dados que circulam nos servidores, independente se forem de clientes, funcionários, parceiros, etc. 

Apesar das consequências dos possíveis vazamentos, algumas empresas não se preocupam tanto quanto deveriam. Algumas organizações esperam que o primeiro incidente ocorra para então investir, o que acaba se tornando um processo mais caro e complexo.

Como a sua empresa pode se adequar

A LGPD precisa ser seguida por todas as organizações, sejam públicas ou privadas. No governo, o processo pode ser mais complexo e burocrático, até mesmo pelo volume de dados e processos muitas vezes engessados.

Então, se você é de uma empresa privada, principalmente se ela for pequena, aproveite essa vantagem de poder se adequar à LGPD mais rapidamente e ajustar os seus processos para garantir a privacidade de seus clientes em toda a jornada deles com a sua empresa. 

Saia na frente e evite os vazamentos, as multas e o bloqueio do tratamento de dados. Investir em cibersegurança é um dos braços da adequação: você também pode contar com uma consultoria especializada, ferramentas de marketing que levem em conta o consentimento e plataformas para evitar os riscos.

FONTE: PRIVACY TECH

Previous post Os 10 principais mitos de cibersegurança
Next post Tipos de aplicativos para não baixar no smartphone

Deixe um comentário