Mercado de cibersegurança cresce no Brasil em meio à pandemia

Views: 71
0 0
Read Time:2 Minute, 17 Second

Por Roseli Andrion

A TGT Consult, empresa de pesquisa e consultoria em tecnologia, anunciou a inclusão do Brasil no estudo global de soluções e serviços de segurança cibernética. É o ISG Provider Lens Cybersecurity – Solutions & Services, que examinará o mercado global de segurança cibernética nos EUA, no Reino Unido, na Alemanha, na Suíça, na França, na Austrália e nos países nórdicos. O lançamento do relatório está previsto para o início do segundo semestre.

Omar Tabach, sócio-diretor da TGT Consult, explica que o Brasil passou a fazer parte da rota mundial da ISG graças ao aumento da relevância do tema no país. “Isso foi motivado por três grandes mudanças no mercado: LGPD, trabalho remoto e aumento dos crimes cibernéticos”, avalia. 

Trabalho remoto tornou cibersegurança mais relevante (Imagem: Reprodução/Elements/Vladdeep)

A proposta do levantamento é trazer uma análise aprofundada do setor ao cobrir vários serviços de segurança cibernética. Isso inclui gerenciamento de identidade e acesso e prevenção contra perda de dados — um tema relevante em um momento em que as empresas em todo o mundo enfrentam números crescentes de ameaças à segurança com invasores cada vez mais sofisticados.

Paulo Brito, autor da pesquisa e analista líder da TGT Consult, lembra que as companhias têm acelerado seus processos de digitalização. O trabalho remoto, motivado pela pandemia do coronavírus, aumentou o risco. “Ao mesmo tempo que o acesso remoto ao sistema era necessário, a forma de acesso e os equipamentos utilizados não eram seguros. Nesse processo, muitas empresas migraram para a nuvem”, destaca. “Isso fez crescer a vulnerabilidade.”

Escassez de profissionais

Além disso, o aumento da demanda levou à escassez de profissionais especializados. “Talvez esse seja o problema mais grave detectado no estudo. No mundo inteiro, há um déficit de cerca de 3 milhões de profissionais de cibersegurança”, aponta Brito. Os especialistas acreditam que a inteligência artificial pode ser uma ferramenta para minimizar essa insuficiência.

Especialistas em cibersegurança são escassos (Imagem: Reprodução/Elements/twenty20photos)

Nesse cenário, muitas empresas passaram a buscar fornecedores com serviços mais completos. Para oferecer maior benefício financeiro aos clientes, que procuram recorrer a um único provedor que ofereça todos os serviços, muitas companhias do setor se movimentaram na direção de fusões e aquisições.

A edição de 2021 do ISG Provider Lens Cybersecurity — Solutions & Services terá 6 quadrantes, um a mais que no ano passado. No segmento de empresas de soluções de cibersegurança os aspectos são Gerenciamento de Identidade e Acesso (IAM), Prevenção Contra Vazamento/Perda de Dados (DLP), Segurança de Dados e Proteção, Detecção e Resposta Avançada a Ameaças de Endpoint (ETPDR Avançado), o novo quadrante. Já a área de empresas de serviços de cibersegurança tem Serviços Técnicos de Segurança, Serviços de Segurança Estratégica e Serviços Gerenciados de Segurança.

FONTE: CANALTECH

Previous post Anonymous ameaça Elon Musk e defende criptomoedas
Next post Brasil terá seleção de hackers para competir na primeira edição global do European Cyber Security Challenge

Deixe um comentário