Google I/O 2021: ferramentas para controlar dados são anunciadas

Views: 111
0 0
Read Time:1 Minute, 48 Second

Por Karol Albuquerque

Durante a conferência Google I/O, o Google apresentou quatro novos recursos para que os usuários tenham mais controle sobre seus dados e mais privacidade. As novidades se juntam a uma ferramenta, lançada em 2019, que permite às pessoas apagarem automaticamente tudo que a Google guarda sobre elas.

A primeira nova ferramenta é o gerenciador de senhas. Com vazamentos constantes, o novo agregador de passwords se integra melhor ao Android e permite que as palavras-chave sejam importadas para outros gerenciadores dos dados.

Ao usar o navegador Google Chrome, o usuário tem também acesso a uma ferramenta gratuita que cria uma senha única para cada login. A atualização conta também com alertas automáticos para informar o usuário caso alguma senha seja comprometida.

A Google também vai ajudar quem precisa esconder aquela busca constrangedora. Agora, os usuários podem apagar apenas os últimos 15 minutos do histórico do buscador em um menu direto na conta Google.

Outro item para a privacidade do usuário é a pasta bloqueada no Google Fotos. Os arquivos ficarão protegidos por senha ou biometria e não serão exibidos no dispositivo ou em álbuns compartilhados.

Por último, a Google também vai facilitar aos usuários desativarem o histórico de localização. Isso já existe, mas fica um pouco escondido: é preciso acessar a linha do tempo no Maps.

Na atualização, a bigtech vai lembrar o dono do smartphone que o histórico de localização está ativado. Será possível desativar no mesmo instante.

Google. Imagem: Shutterstock
Google vai melhorar as buscas. Imagem: Shutterstock

Buscas inteligentes

Ainda no evento Google I/O, a empresa anunciou o desenvolvimento de um sistema avançado para oferecer respostas mais aprimoradas e aprofundadas a perguntas complexas no buscador. Além dos já apresentados, a bigtech promete outros recursos nos próximos meses.

A ideia da Google é que a busca entregue mais do que requisições simples, dando ao usuário contexto, oferecendo resumos e até resultados já traduzidos. Isso será operado pelo MuM (Multitask Unified Model, ou Modelo unificado multitarefa). A ferramenta é treinada em mais de 75 idiomas diferentes e pode realizar tarefas simultâneas, além de entender texto e imagens.

FONTE: OLHAR DIGITAL

Previous post Chip de computador à prova de hackers está sendo criado por pesquisador
Next post RSAC21 | O que vimos de legal hoje (18)

Deixe um comentário