1.6 bilhão de ataques de roubo de credenciais de brasileiros tem origem no próprio país

Views: 149
1 0
Read Time:2 Minute, 54 Second

Ao longo de 2020, a empresa de segurança digital Akamai detectou mais de 3 bilhões de tentativas de roubos de credenciais no Brasil. Mais da metade dos esforços, 1.6 bilhão, teve origem no próprio país. O recorde diário ocorreu no mês de dezembro, com mais de 55 milhões de tentativas de fraudes em um só dia. O roubo de credenciais pode acontecer com a coleta de informações roubadas das empresas ou por meio de terceiros (informações compradas ou vazadas) de usuários. O mesmo relatório da empresa aponta o Brasil em 3º lugar no ranking dos países fonte de ataques.

Serviços financeiros, no entanto, representaram uma pequena parcela dos alvos nessa modalidade de fraude, com pico de 1.1 milhão de tentativas de roubo de credenciais em um único dia ao longo de 2020. “Alguns setores já possuem estruturas mais maduras para identificar e combater esses crimes, mas empresas de todos os portes devem ficar atentas a essa modalidade de crime cibernético. Aos usuários, as verificações em duas etapas e a variedade e rotatividade de senhas é a melhor prevenção”, explica Helder Ferrão, gerente de marketing Latam da Akamai.

O ATAQUE NÃO PRECISA SER REALIZADO DIRETAMENTE NA REDE DO USUÁRIO. OU SEJA, SE VOCÊ REALIZA UM CADASTRO COM LOGIN E SENHA EM UMA EMPRESA ONLINE E A MESMA É ATACADA, ESSES DADOS FICARÃO DISPONÍVEIS PARA CIBERCRIMINOSOS TENTAREM ACESSAR SUAS DIFERENTES CONTAS COM AS MESMAS INFORMAÇÕES, AFIRMA FERRÃO.

A complexidade necessária para a prestação de serviços totalmente digitais também representa riscos. Segundo o gerente de marketing, a integração de diferentes soluções dentro dos websites, como um chat via rede social, um bot para atendimento, a estrutura de pagamentos online e scripts de acompanhamento da navegação, por exemplo, fazem com que um site seja composto por dezenas de sistemas diferentes, aumentando a vulnerabilidade.

Nesse momento a segurança passa a ser ainda mais importante, pois vários desses códigos podem conter brechas e tornar toda a estrutura vulnerável. Tratando-se de um serviço que reúne informações como nome, telefone, endereço e dados de cartão de crédito, o resultado pode ser desastroso, diz Ferrão. Outro estudo realizado pela empresa em 2020 revelou que cerca de 80% de todos os sites na web apresentam ao menos uma falha de segurança.

Por isso, é sempre bom relembrar dicas que asseguram sua segurança digital:

– Evite utilizar o mesmo nome de usuário e senha para diferentes sites. A principal dica para manter seus dados a salvo nessa modalidade de fraude digital é não usar a mesma senha para os diversos sites e aplicativos que for acessar. Além disso, utilize nomes de usuários diferentes. Quanto maior a variedade nessas informações, melhor estarão protegidas suas credenciais.

– Busque alterar suas senhas periodicamente. Em caso de vazamento de dados, a troca de senhas dificulta o uso da informação roubada. Assim, especialistas recomendam a alteração de suas principais chaves a cada três meses. Senhas de menor complexidade como 123456 ou a data do aniversário também facilitam as fraudes.

 Considere ativar a verificação em duas etapas. Com a geração de tokens em outros aparelhos eletrônicos, o dado vazado confere apenas uma informação parcial ao cibercriminoso, mas não garante o acesso às contas.

– Evite abrir um links ou um arquivo anexado a uma mensagem que seja de uma fonte desconhecida. Você pode até conhecer quem postou ou enviou a mensagem, mas quando falamos de redes sociais é difícil saber a origem de certas publicações e mensagens.

FONTE: MUNDO CONECTADO

Previous post Forças Armadas Participam do maior exercício de Defesa Cibernética do Mundo
Next post Hackers cobram US$ 50 milhões da Apple após ‘sequestro’ de projetos

Deixe um comentário