Riscos associados a falta de proteção em acesso em Cloud

Views: 134
0 0
Read Time:6 Minute, 1 Second

Riscos associados a falta de proteção em acesso em Cloud. O conceito de cloud é cada vez menos uma palavra da moda e mais uma necessidade. Todos, desde desenvolvedores de aplicativos, executivos e estudantes, estão se beneficiando da flexibilidade e confiabilidade das soluções baseadas em nuvem.

Embora a cloud tenha evoluído muito nos últimos anos, ainda existem riscos envolvidos. Uma das principais preocupações dos profissionais de cibersegurança é a proteção aos acessos em ambientes cloud.

A cloud hospeda dados de milhares e milhares de pessoas – incluindo terceiros, funcionários e clientes -, o que aumenta a superfície de ataque. Um ataque bem-sucedido pode ser fatal para várias empresas, e afetar diretamente a continuidade dos negócios.

Neste artigo, exploramos alguns dos principais riscos associados à falta de proteção dos acesso em cloud. Além disso, explicamos como algumas ações básicas podem ser estratégicas para mitigar os riscos da falta de gerenciamento e proteção de acessos em ambientes cloud.

Com um pouco de planejamento, você pode mitigar esses riscos com eficácia e aproveitar tudo o que a cloud em constante evolução tem a oferecer. Continue a leitura e saiba a quais riscos você está exposto pela falta de proteção aos acessos em cloud.

Falta de governança

Você tem o controle dos dados no seu ambiente cloud? Você sabe quais informações os seus funcionários têm acesso? Os funcionários terceirizados possuem acesso limitado e controlado à sua cloud? As respostas a essas perguntas indicam se sua organização possui uma boa governança em cloud ou não.

A governança em cloud garante que todas as ações, desde a implementação de um novo servidor até as interações de sistemas e segurança de dados, sejam devidamente gerenciadas.

A mudança de infraestruturas locais nas empresas para ambientes cloud adiciona camadas de complexidade à proteção de sistemas. Isso também significa que mais pessoas em sua empresa têm o potencial de impactar esses sistemas. É por isso que é fundamental desenvolver e manter um modelo de governança em cloud para o gerenciamento de acessos.

Ao designar quem possui acesso para cada parte do gerenciamento de ativos, informações e sistemas, o seu plano de governança determinará os limites necessários sobre quem pode acessar e impactar a sua infraestrutura.

Como já Conforme mencionado, isso é especialmente importante considerando-se como é fácil implementar novos servidores e outros ativos na cloud. A última coisa que você deseja são aplicativos e iniciativas de TI sem o devido gerenciamento, causando impactos em sua arquitetura de sistemas e, também, clientes e usuários, negativamente.

Controlar o acesso aos ativos críticos da sua cloud é essencial para um ambiente mais confiável, principalmente se você terceiriza o desenvolvimento de software para outras empresas.

Violações de dados

As violações de dados são uma grande preocupação de cibersegurança, pois a quantidade de dados transmitidos pela internet vem crescendo de forma exponencial. Essa transferência contínua de informações possibilita que invasores, em qualquer local, tentem violar dados em quase qualquer empresa que escolherem.

Quais são as principais maneiras pelas quais uma violação de dados pode ocorrer? A maneira mais simples de visualizar dados privados é roubar as credenciais de login de outra pessoa para entrar em um sistema.

Em vista disso, os invasores empregam uma série de estratégias para colocar as mãos nos logins e senhas dos funcionários da empresa. Esse é um grande risco associado à falta de proteção aos acessos em sua cloud, porque até invasores menos habilidosos podem conseguir facilmente acesso aos dados da sua empresa.

As ameaças internas também são uma forma de violação de dados. Essas ameaças envolvem funcionários que têm acesso a informações protegidas, expondo deliberadamente esses dados, muitas vezes para ganho pessoal. Nesse sentido, quando não há um controle de acesso adequado para gerenciar o que os funcionários e pessoas terceirizadas fazem no seu ambiente cloud, essa ameaça pode se tornar real.

O controle de acesso é uma forma de minimizar riscos associados à violações de dados, garantindo que os seus funcionários tenham apenas o mínimo de acesso e permissões necessárias para fazer seu trabalho.

Não conformidade com leis e regulamentos do mercado

Novas leis, a LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados Pessoais), por exemplo, vem exigindo cada vez mais das empresas brasileiras o desenvolvimento de uma série de procedimentos para proteção de dados. A lei deve ser aplicada para qualquer organização que realize operações com dados pessoais, como coleta, transmissão, armazenamento ou tratamento de dados de brasileiros.

Se a sua empresa se encaixa nesse segmento, é importante entender como as falhas de proteção dos acessos em seu ambiente cloud podem afetar negativamente os negócios.

Em casos em que ocorra uma violação de dados pessoais e se a sua empresa não tomou as medidas necessárias básicas de proteção, é possível que você sofra penalizações, como multas regulatórias como as da LGPD, que podem chegar a 2% do faturamento ou R$ 50 milhões de reais. Além disso, quando falamos em ambientes cloud, você precisa saber em qual localidade o seu provedor cloud está localizado.

Como exemplo, se o seu provedor está localizado em alguma região da Europa, você também deverá buscar a conformidade com a GDPR (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados) para não sofrer penalizações.

Enquanto isso, no mercado de meios de pagamento, certificações como o PCI DSS (Padrão de Segurança de Dados da Indústria de Cartões de Pagamento) determinam a importância do controle e gerenciamento de acesso para ambientes cloud e definem fortes políticas de segurança para a proteção dos acessos.

Outro exemplo de regulamentação exigida pelo mercado de meios de pagamento é a Resolução 4658 do Bacen. A resolução surge para orientar procedimentos e controles para reduzir vulnerabilidades cibernéticas e atender aos objetivos de cibersegurança em ambientes cloud. Não estar em conformidade não é uma opção para os negócios.

Sua empresa e seus clientes em risco

Os provedores em cloud podem garantir conformidade para a sua infraestrutura e ambiente, mas a conformidade com requisitos de segurança e de mitigação de risco ainda é de total responsabilidade sua.

Já discutimos os riscos de acesso em ambientes cloud longamente, por isso é útil lembrar o que está em risco. Uma violação de seus dados ou dos dados de seu cliente pode ser devastadora, dependendo do tipo de dados e da extensão da violação.

Os custos de investigação e resolução de uma violação, despesas legais associadas e as perdas para a reputação de uma empresa podem ser suficientes para inviabilizar os seus negócios.

O senhasegura pode ajudar sua empresa a controlar os riscos na cloud:

  • Integrando totalmente e implementando duas camadas de segurança de contas privilegiadas: tanto para o provedor de serviço quanto para os clientes.
  • Reforçando o acesso administrativo a máquinas virtuais.
  • Incorporando o senhasegura a ferramentas de automação de tarefas para provisionar de forma transparente novas contas através de APIs.
  • Reinicializando sistematicamente senhas-padrão como parte do processo de provisionamento.
  • Provendo responsabilidade individual para todas as atividades de usuários privilegiados.
  • Isolando, monitorando e gravando todas as sessões.
  • Substituindo credenciais codificadas e visíveis de aplicações por credenciais rotativas para aprimoramento da segurança.
  • Solicite aqui uma demonstração e descubra na prática os benefícios do senhasegura para a sua empresa.

Os riscos da falta de proteção de acesso em ambientes cloud valem a pena? Cabe a você decidir.

FONTE: MINUTO DA SEURANÇA

Previous post Novos apps abusivos tipo fleeceware são encontrados na Play Store e App Store
Next post Vazamento de dados “made in Brazil”

Deixe um comentário