Cresce o número de pessoas à procura de emprego na Darknet

Views: 78
0 0
Read Time:3 Minute, 32 Second

Alerta para o potencial aumento do número de pessoas ligadas a atividades ilegais divulgadas tipicamente em fóruns de hacking


O impacto da pandemia da COVID-19 na economia global foi dramático. A maioria das grandes economias perdeu pelo menos, senão mais, 2% de seu PIB. Os mercados de ações globais sofreram quedas drásticas devido ao surto, e o índice Dow Jones relatou sua maior queda em um único dia de quase 3 mil pontos em 16 de março de 2020. Enquanto as economias continuam sofrendo, as taxas de desemprego também aumentaram.

Nos Estados Unidos, o desemprego atingiu níveis sem precedentes em abril de 2020 de 14,8%, antes de cair para 6,7% em dezembro. Na Europa, o desemprego aumentou de 6,5% para 7,5% ao longo do ano. No Brasil, a taxa média de desocupação para o ano de 2020 foi de 13,5%, o que corresponde a cerca de 13,4 milhões de pessoas na fila por um trabalho no país. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada em fevereiro deste ano pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Nesse contexto, a Check Point percebeu uma tendência crescente, a qual começou no final de 2020 e prossegue neste ano, das pessoas se voltarem para a Darknet e vários fóruns de hacking para oferecer seus serviços e disponibilidade para qualquer tipo de trabalho disponível, incluindo funções ilegítimas. Essas pessoas desempregadas oferecem-se para prestar serviços a atividades cibercriminosas em troca de dinheiro.

Normalmente, dentro do mercado Darknet e de fóruns de hacking, são os fornecedores que estão oferecendo vagas para aqueles que estão interessados em se inscrever. Entretanto, o que a Check Point tem observado é a dinâmica oposta: as pessoas oferecendo-se para ajudar no cibercrime em troca de dinheiro. Desde o início de 2021, os pesquisadores da Check Point têm se deparado com uma quantidade de dez a 16 novos anúncios de procura de emprego por mês numa seleção de fóruns de hacking, um número excepcionalmente alto, tendo em conta que as publicações desta natureza são, por norma, nulas. Os pesquisadores acreditam que a inversão da tendência deriva do impacto notoriamente negativo da situação da pandemia que em muito tem contribuído para o aumento dos números de desemprego.

“É muito raro vermos pessoas à procura de trabalhos ilegais na Darknet. O crescimento desse tipo de ofertas nos alarmou. Quando pessoas se oferecem para prestar serviços a atividades cibercriminosas, estamos todos numa situação de maior perigo. Assim, decidimos selecionar um conjunto de fóruns de hacking para acompanhar ao longo dos meses. Descobrimos que o número de posts deste gênero aumentou consistentemente e suspeitamos que o mesmo aconteça em outros sites da Darknet”, explica Oded Vanunu, chefe de pesquisa de vulnerabilidades de produtos na Check Point.

A Darknet corresponde a uma parte da Internet invisível para os mecanismos de busca, na qual se trocam recursos ilícitos, como números de cartões de crédito roubados, drogas, ciberarmas e até softwares maliciosos que permitam acessar computadores e dispositivos móveis. A Check Point compartilha quatro exemplos extraídos do conjunto de fóruns de hacking que os pesquisadores acompanharam nos últimos meses.

“Tudo isto cria uma cultura muito perigosa na Darknet, o último lugar onde se deve procurar trabalho. Em tempos de pandemia e crise econômica, as pessoas tomam medidas desesperadas. Acreditamos que esta tendência evidencia as dificuldades financeiras nas quais muitas pessoas se encontram dada a COVID-19. Este ‘grito’ das pessoas deve preocupar toda a gente que pretende minimizar as atividades criminosas”, afirma Vanunu.

A Darknet funciona principalmente como o mercado clandestino e ilegal da Internet, e normalmente “promove” transações que envolvem drogas, armas cibernéticas, falsificação e muito mais. Em situações de desespero, alguns “candidatos” a emprego estão dispostos a participar desse tipo de trabalho ilegal se isso significar ter uma renda.

Pela pesquisa da Check Point, observou-se que pessoas de diferentes partes do mundo estão oferecendo suas habilidades, conhecimentos e disponibilidade nessas plataformas. À medida que os países enfrentam as realidades de uma economia global em dificuldades, é importante que também voltem sua atenção para o mercado de trabalho clandestino que está crescendo.

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Nuvem e Segurança: a combinação para garantir o futuro das redes corporativas
Next post Bug no Zoom pode exibir informações sigilosas em compartilhamento de tela

Deixe um comentário