Avast alerta a falta de ética ao usar stalkerware para pais espionarem filhos

Views: 85
0 0
Read Time:4 Minute, 57 Second

Empresa avaliou os recursos, mensagens e ferramentas psicológicas que esses aplicativos antiéticos usam e compartilha conselhos para os pais sobre a melhor forma de manter os seus filhos seguros online

João Monteiro

Avast fez uma análise das mensagens publicitárias e do posicionamento usado pelos nove principais aplicativos de stalkerware mais usados e detectados pelo antivírus da Avast em sua base de usuários. Embora o stalkerware, às vezes, seja direcionado a parceiros ciumentos para espionar seus cônjuges e para que os empregadores espionem os seus funcionários, as descobertas mostram que todos os aplicativos também têm como alvo os pais, buscando monitorar secretamente o comportamento de seus filhos no ambiente online.

A Avast explica que o stalkerware pode ser instalado no telefone de alguém sem o seu consentimento para monitorar furtivamente as suas atividades de comunicação, o que a empresa considera altamente antiético. A análise da Avast mostrou que as nove soluções prometem aos pais que eles podem monitorar os seus filhos, sem que saibam, “pelo preço de uma xícara de café por dia”. Esses aplicativos se posicionam como se fossem em prol a um bem maior e prometem ajudar a manter as crianças protegidas dos perigos no mundo online, por meio das seguintes maneiras: 

  • Monitorando aplicativos de mensagens e SMS; 
  • Monitorando e gravando as chamadas, bem como visualizando os logs das chamadas e os logs excluídos; 
  • Rastreando a localização; 
  • Acessando arquivos multimídia, como: fotos, vídeos e áudios no dispositivo; 
  • Monitorando diferentes plataformas de mídias sociais; 
  • Monitorando a navegação na web e acessando o histórico de navegação, bem como acessando o microfone em segundo plano para gravar ruídos ou conversas; 
  • Controlando remotamente o smartphone e bloqueando sites ou aplicativos de serem usados no telefone; 
  • Verificando o uso do aplicativo pelo proprietário do dispositivo. 

Esses apps de espionagem usam táticas de intimidação, sugerindo perigos que podem ocorrer com crianças, além de apelar para a emoção. Os aplicativos ainda tentam racionalizar seu uso, dizendo que podem ajudar a “manter os seus filhos no caminho certo”. Também se aproveitam de avaliações de usuário falsas. 

A Avast defende que o melhor jeito de proteger seus filhos é criar um ambiente seguro baseado em confiança. Para a empresa, as crianças também têm o direito fundamental à privacidade e à independência e para manter-se informado sobre as atividades de seus filhos no universo online, é preciso consentimento. Transparência e conversas abertas são essenciais. 

A Avast traz as seguintes dicas e recomendações para os pais, quando abordarem as questões de segurança online com seus filhos: 

  • Esteja bem informado sobre as tendências das plataformas de mídias sociais entre as crianças e os adolescentes, e suas condições de privacidade. Você precisa estar um passo à frente, para ajudar o seu filho a ficar seguro. 
  • Lidere pelo exemplo. Se os seus filhos perceberem que você está compartilhando fotos deles sem sua permissão, por que eles se recusariam a compartilhar fotos suas e de outras pessoas? Se você quiser compartilhar fotos de seus filhos, é aconselhável usar fotos onde possam ser vistos de costas ou com o rosto desfocado. Além disso, você deve sempre pedir o consentimento ao seu filho, antes de publicar uma foto dele. 
  • Explique o que são informações pessoais. Ensine o seu filho sobre como as informações podem ser confidenciais e por quanto tempo esses dados podem existir no ambiente online. Defina também as expectativas em relação ao compartilhamento. Descubra o que você acha que está bom ou não para o seu filho compartilhar no universo online e, em seguida, converse com ele sobre isso. Se os seus filhos forem mais velhos, você também deve falar sobre sexting e imagens privadas. Fale sobre como esses conteúdos podem ser usados contra eles, tanto pela pessoa que os recebe como pelos outros. 
  • Fale sobre os riscos de estranhos no mundo online. Discuta as diferentes maneiras pelas quais um estranho pode se comunicar e elabore um plano para o que o seu filho possa fazer, quando isto acontecer. 
  • Ensine o seu filho a definir senhas fortes. Uma senha forte ou frase secreta deve ser longa e complexa, consistindo em caracteres especiais, números e letras maiúsculas e minúsculas. 
  • Explique o que é o phishing e as práticas recomendadas para se proteger. As crianças não devem clicar em links que recebem por e-mails ou mídias sociais de fontes desconhecidas. Caso seja solicitado que sejam inseridos dados pessoais em um site, eles devem preencher manualmente o URL no navegador, em vez de clicar em um link. 
  • Instale um software antivírus nos dispositivos do seu filho. As crianças são tão propensas (se não mais propensas) a clicar em links suspeitos, quanto os adultos. Portanto, é melhor garantir que os seus dispositivos estejam protegidos, caso façam. 
  • Configure o YouTube e os sistemas de jogos para o “Modo Restrito”, o qual filtra o conteúdo impróprio para crianças. 
  • Junto com seu filho, verifique as configurações de privacidade nas redes sociais e as permissões do aplicativo. Explique por que restringir o acesso de aplicativos a seus dados é importante. 
  • Mantenha-se aberto para ouvir os seus filhos. Diga que sempre podem falar com você sobre qualquer coisa relacionada à internet e que assim não terão problemas – mesmo se violarem as regras. 
  • Ao contrário do stalkerware, que é usado sem o consentimento da vítima, os aplicativos de controle parental podem ser benéficos para manter a sua família segura, quando usados da maneira certa. As ferramentas legítimas de controle parental são claramente visíveis para a criança em seu dispositivo e é recomendado que os pais discutam o uso com os seus filhos, antes da ativação. Ter conversas familiares sobre como manter a criança protegida de conteúdo impróprio, limitar o tempo de tela para manter o bem-estar e garantir que o seu filho esteja seguro quando estiver no ambiente online são extremamente importantes para assegurar que as crianças entendam e consintam a respeito. 

FONTE: IP NEWS

Previous post C-Level em alta: o que procurar (e observar) ao buscar por um novo emprego como CISO
Next post WhatsApp lança campanha de combate a golpes no aplicativo

Deixe um comentário