Não somos polícia para investigar vazamentos, diz diretor presidente da ANPD

Views: 150
0 0
Read Time:1 Minute, 11 Second

As investigações da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) com relação aos últimos grandes vazamentos de dados ainda estão em andamento. No entanto, o órgão revelou que não tem estrutura nem competência para investigar vazamentos. “Ainvestigação [e] o poder de polícia, não nos cabe”, disse o diretor presidente, Waldemar Gonçalves.

Segundo ele, não há nada conclusivo nas investigações da ANPD até agora, por isso, entrou em contato com todos as outras instituições que podem ajudar com o caso. “Acionamos a Polícia Federal, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), o Gabinete de Segurança Institucional, o Cert.br, o Ministério Público Federal, todos os órgãos que poderiam compor com a ANPD e dar celeridade a esse processo investigativo”, disse.

Durante o painel “A ANPD no contexto das empresas de telecom e mídia” do Seminário Políticas de Telecomunicações, do Teletime, nesta terça-feira (23), Waldemar discutiu a ação da ANPD, principalmente no setor de telecomunicações e entretenimento. Durante sua palestra, revelou que a ANPD não tem poder de polícia para investigar vazamentos.

“Temos a missão de fiscalizar, mas a investigação, o poder de polícia, não nos cabe. Mas a ação junto aos órgãos foi bem recebida pelos mesmos. Tivemos pronto apoio e estamos tratando e esperamos que o processo investigativo tenha um final conclusivo. Sabemos que quanto mais tempo dificulta mais as investigações, mas acreditamos que teremos resultados.”

FONTE: THE HACK

Previous post E-mails falsos representam 91% das ameaças cibernéticas detectadas em 2020
Next post A maior transformação tecnológica desde a nuvem pública? A Zero Trust Edge

Deixe um comentário