Gastos com soluções de Segurança ultrapassarão US$ 900 milhões no Brasil em 2021

Views: 139
0 0
Read Time:2 Minute, 53 Second

Número representa alta de 12,5% em relação ao ano anterior. Nuvem, trabalho remoto e colaboração foram os pilares que puxaram esse avanço

A Segurança da Informação vem conquistando um espaço importante dentro das organizações, protagonizando as principais estratégias de TI nas empresas no Brasil. De acordo com a consultoria IDC, em 2019, a Segurança liderou 50% das prioridades de TI, passando para 59% em 2020 e deve fechar 2021 com 61% das principais iniciativas, superando tendências como inteligência artificial, analytics, machine learning, nuvem e modernização de ERP.

O relatório IDC Prediction 2021 aponta que, em 2021, os gastos com soluções de Segurança (hardware ou software) ultrapassarão US$ 900 milhões no Brasil, alta de 12,5% em relação ao ano anterior. Já os serviços gerenciados de Segurança (MSS) totalizarão US$ 615 milhões no mesmo período. As soluções de Segurança na nuvem crescerão 29% neste ano e corresponderão a 23% das soluções de SI buscada no mercado.

Segundo Luciano Ramos, gerente de Pesquisa e Consultoria na IDC LATAM, o novo contexto de nuvem, transformação digital e colaboração impulsionou o mercado de soluções de Segurança. Trabalho remoto e maior utilização de recursos de nuvem fazem com que as empresas tenham que evoluir a proteção de seus ambientes. O levantamento da IDC aponta que a maioria das organizações entendeu que seu ambiente não estava preparado para lidar com segurança em nuvem e com a diversidade e dispersão de endpoints.

Ele acrescenta que somado a esse contexto de nuvem e ambiente distribuído, os temas de visibilidade e proteção de dados ganham destaque. 50% das empresas pesquisadas dizem estar em estágios avançados em adequação à LGPD e 2/3 indicam que seu maior desafio é o mapeamento e controle das informações.

“Isso significa que veremos uma tendência na adoção de soluções de inteligência artificial, machine learning e aderentes aos ambientes de nuvem. Além disso, as estratégias de Segurança passam a priorizar a proteção de dados e de workloads”, completa o executivo.

Esse movimento tem como objetivo permitir mais automação da análise dos eventos de segurança. “Isso é especialmente importante diante da realidade das empresas, com equipes enxutas e quantidade crescente de incidentes”, diz Ramos.

Inteligência artificial

Essa demanda por automação com inteligência é uma forma de otimizar a força de trabalho e responder rapidamente aos ataques cibernéticos. Com isso, as soluções de SI estão embarcando mais rapidamente os recursos de AI e machine learning.

No entanto, as empresas ainda estão se adequando a essa realidade: mais de 75% delas têm algum tipo de supervisão humana para assegurar e validar os resultados.

Com a ampliação dos casos de uso e das aplicações, os gastos com AI no Brasil chegarão ao total de US$ 464 milhões em 2021, puxados principalmente por serviços de consultoria de TI e de negócios.

“Entretanto, veremos um aumento maior de aplicação de AI a partir de 2022/2023 quando serão minimizados os atrasos de conectividade. Acredito que os casos de aplicação irão se desenvolver muito rapidamente com a chegada do 5G, aí sim teremos condições de retroalimentar as tecnologias e obter respostas mais rápidas”, conclui Ramos.

A IDC prevê crescimento de mais de 7% em investimentos em TI e Telecom para o Brasil em 2021, dando que o conjunto de tecnologias avaliadas sugere elevação frente ao desafiador 2020. Falando apenas de TI Empresarial, que envolve hardware, software e serviços, excluindo os produtos de consumo, a previsão de crescimento é de mais de 9% para esse ano.

FONTE: SECURITY REPORT

Previous post Extorsão e ransomwares ainda mais perigosos são tendências de ameaças para 2021
Next post Descoberta troca de informações entre cibercriminosos de como realizar golpes com o Pix

Deixe um comentário