Ransomware Ryuk arrancou mais de US$ 150 milhões das vítimas

Views: 108
0 0
Read Time:1 Minute, 24 Second

Os pesquisadores de segurança acreditam que os criminosos por trás do ransomware Ryuk ganharam mais de US$ 150 milhões com as vítimas que entregaram o resgate em Bitcoin.

A empresa Advanced Intelligence e a empresa de segurança HYAS, escreveram em um relatório que rastrearam 61 carteiras de Bitcoin atribuídas ao ransomware Ryuk. Eles descobriram que os criminosos enviam a maior parte da criptomoeda para uma exchange por meio de um intermediário para sacar.Ransomware Ryuk arrancou mais de US$ 150 milhões das vítimasAssim que o dinheiro da vítima é pago, eles o enviam aos operadores do Ryuk por meio de serviços de lavagem. Em seguida, chega às exchanges onde é sacado ou usado em empreendimentos criminosos.

Em vez de preferir exchanges de criptomoeda obscuras, os criminosos usam nomes bem estabelecidos, como Binance e Huobi. Ambos exigem prova de identidade antes que alguém possa transferir moedas fiduciárias para um banco, embora as gangues de ransomware provavelmente usem identidades falsas.

Os pesquisadores escrevem:

Além de Huobi e Binance, que são exchanges grandes e bem estabelecidas, há fluxos significativos de criptomoeda para uma coleção de endereços que são muito pequenos para serem uma exchange estabelecida e provavelmente representam um serviço de crime que troca a criptomoeda local por moeda ou outra moeda digital.

Os pagamentos do Ryuk geralmente ficam na casa das centenas de milhares de dólares, embora algumas vítimas acabem pagando milhões. Os governos locais são um alvo popular para os operadores.

Por fim, caso queira ler mais matérias sobre código aberto, Linux, Android, hardware, internet, programação e ficar atualizado com as novidades do mundo da tecnologia, acompanhe as matérias no canal do Sempre Update no Telegram.

FONTE: SEMPRE UPDATE

Previous post Banco Central da Nova Zelândia é alvo de ataque hacker
Next post Engenharia de Qualidade (Quality Engineering) vs Garantia de qualidade (Quality Assurance): tudo o que você precisa saber

Deixe um comentário